Como se tornar arqueólogo(a) no Brasil: Lista de cursos

Texto de João Carlos Moreno de Sousa

Última atualização: 27/04/2018

Está pensando em se tornar um arqueólogo ou uma arqueóloga? Você já sabe o que é arqueologia? Se você ainda não sabe, clique no link abaixo:

Texto: O que é arqueologia?

Agora que já sabemos o que é arqueologia, e o que fazem os profissionais desta ciência, vamos ver como é possível se formar em arqueologia no Brasil. Pra começar, você pode assistir o vídeo abaixo, onde a arqueóloga Cristiane Amarante dá 10 dicas para se tornar um arqueólogo ou uma arqueóloga.

Ficou interessado? Então vamos entrar em mais detalhe agora.

Quem é considerado arqueólogo/a no Brasil?

A profissão de arqueólogo(a) no Brasil foi finalmente regulamentada em Abril de 2018. De acordo com a lei, são considerados profissionais em arqueologia àqueles que sejam formados em cursos brasileiros de ensino superior reconhecidos pelo Ministério da Educação, ou em cursos de ensino superior estrangeiros desde que o titulo seja revalidado por um curso brasileiro reconhecido pelo Ministério da Educação. No Brasil, são considerados os profissionais que possuam pelo menos uma das seguintes qualificações curriculares

  1. Graduação em Arqueologia.
  2. Mestrado cuja dissertação seja resultado de pesquisa arqueológica + 2 anos e exercício de atividades comprovadas relacionadas ao campo profissional da arqueologia.
  3. Doutorado cuja tese seja resultado de pesquisa arqueológica + 2 anos e exercício de atividades comprovadas relacionadas ao campo profissional da arqueologia.

É importante observar que em cursos de docência acadêmica, apenas podem concorrer profissionais que tenham, pelo menos, mestrado ou doutorado em arqueologia plena. Também NÃO serão considerados arqueólogo(a)s aqueles que possuírem apenas cursos de especialização em arqueologia, independente do seu reconhecimento pelo MEC ou pelo IPHAN.

Ainda serão reconhecidos como profissionais aqueles que concluíram sua formação em Curso de Especialização em Arqueologia  reconhecido pelo MEC antes de 2018 e que tem mais 3 anos de experiência comprovada. Também continuam sendo considerados os profissionais que completaram 10 anos de experiência comprovada até o início de 2018.

Onde fazer uma graduação em Arqueologia?

A opção mais recomendada certamente é cursar uma graduação em arqueologia, mesmo que você já possua outro título de bacharelado (ou licenciatura). Afinal, numa graduação você terá aulas teóricas e práticas durante quatro ou cinco anos (depende da universidade), que te proporcionarão o ensino básico necessário das mais variadas disciplinas desta ciência tão interdisciplinar que é a Arqueologia. Em alguns cursos, você já poderá ir se especializando em algumas subáreas nas quais os professores tem mais experiência, através de estágios, iniciações científicas (inclusive recebendo bolsas) e disciplinas optativas. O título de Bacharel em arqueologia possibilitará o novo profissional a exercer plenamente sua profissão em empresas de licenciamento ambiental, museus, e poderá até dar aulas como professor substituto em universidades, por exemplo. Além disso, o profissional graduado em arqueologia tende a ter mais pontos na avaliação do currículo ao prestar concursos públicos específicos desta área, como concursos para professor de universidades federais, para cargos em instituições governamentais (ex: museus, IPHAN, MPU, etc), e até mesmo para seleção de provas de mestrado e doutorado.

A Universidade Estácio de Sá, no Rio de Janeiro, já teve um curso de graduação em Arqueologia entre os anos 70 e 90. Mas este foi extinto décadas atrás, deixando nosso país sem possibilidade de se graduar na área por praticamente duas décadas.

O Brasil conta hoje com 14 cursos de graduação (bacharelado – não existem licenciaturas) que possibilitam a formação em Arqueologia. Todos os cursos são relativamente novos, tendo sido os cursos da UNIVASF e da PUC GO os mais antigos a serem criados (2005 e 2006 respectivamente). Dentre os cursos avaliados pelo Ministério da Educação, a UFS possui a maior nota.

Dos 14 cursos, 11 oferecem a titulação de profissional em Arqueologia. Clique no nome da universidade para saber mais sobre o curso que ela oferece:

  1. Universidade Federal de Sergipe (UFS) (Laranjeiras, SE)
  2. Universidade Federal do Rio Grande (FURG) (Rio Grande, RS)
  3. Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC GO) (Goiânia, GO) – Curso privado!
  4. Universidade Federal do Piauí (UFPI) (Teresina, PI)
  5. Universidade Federal de Rondônia (UNIR) (Porto Velho, RO)
  6. Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) (Santarém, PA)
  7. Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) (Recife, PE)
  8. Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) (Rio de Janeiro, RJ)
  9. Universidade do Estado do Amazonas (UEA) (Manaus, AM)
  10. Universidade do Estado da Bahia (UNEB) (Paulo Afonso, BA)
  11. Universidade Metropolitana de Santos (Unimes) (Santos, SP) – Curso privado!

O curso mais antigo, já citado, oferece o a titulação de profissional em Arqueologia e Preservação Patrimonial:

  1. Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) (São Raimundo Nonato, PI)

Dois cursos que oferecem titulação em Antropologia, mas também permitem que o aluno obtenha o título de bacharel em arqueologia:

  1. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)  – com habilitação em Arqueologia (Belo Horizonte, MG)
  2. Universidade Federal de Pelotas (UFPEL) – com área de concentração em Arqueologia (Pelotas, RS)

É importante notar que os dois cursos citados acima são menos recomendados em relação aos anteriores, pois não são cursos em arqueologia plena. Os cursos são de Antropologia, e não possuem a mesma carga curricular em arqueologia dos cursos de graduação em arqueologia plena (todos os outro citados). No entanto, eles servem como uma alternativa a quem não tem condições de cursar em uma das outras universidades já citadas.

Na minha região não existe graduação em Arqueologia… E agora?

Calma! Existem outras soluções! Você pode se formar em outro curso e só depois fazer o mestrado e/ou doutorado em arqueologia. Ou até mesmo uma segunda graduação, desta vez em arqueologia, se achar melhor. Dependendo do curso que você optar em fazer, você poderá ter maior ou menor dificuldade em certas subáreas da arqueologia. De todo modo, uma vez que a arqueologia é interdisciplinar e multidisciplinar, praticamente qualquer curso que você fizer te proporcionará algum conhecimento que te ajudará posteriormente, principalmente se você fizer um curso das áreas das ciências ou das humanidades. Além disso, existem universidades que, apesar de não oferecerem cursos de arqueologia, possuem arqueólogos ou professores que tem algum conhecimento na área, e podem ajudar o aluno a iniciar sua formação como arqueólogo ou arqueóloga. Alguns professores ainda permitem que o aluno faça seu trabalho de conclusão de curso (TCC ou Monografia) voltados à arqueologia!

As graduações da área da ciência mais recomendados são:

  • Geologia (ou Geociências) – que fornece o conhecimento fundamental da história da terra, além de fornecer cursos e experiência em: estratigrafia, geofísica, paleontologia e outras disciplinas básicas da arqueologia;
  • Biologia (ou Biociências) – que fornece o conhecimento básico de evolução, anatomia humana, osteologia, botânica, zoologia e demais disciplinas necessárias na arqueologia.

Além disto, ambos os cursos costumam fornecer disciplinas de estatística e metodologia científica além de atividades para adquirir experiência nas duas disciplinas. Ambas as disciplinas são fundamentais para quem pretende se tornar um cientista, o que inclui a arqueologia.

Alguns dos profissionais formados em cursos de Humanidades podem ter certas dificuldades com metodologia de pesquisa científica e estatística no começo, uma vez que estes curso não costumam oferecer estas disciplinas e experiência (alguns oferecem sim, mas é raro). Então caberá ao aluno um esforço pessoal para aprender isso. Os cursos de humanidades mais recomendados são:

  • Antropologia – uma ciência humana/social que carrega uma carga teórica similar à arqueologia. Inclusive, as duas ciências sempre estiveram ligadas uma a outra durante décadas. Principalmente em escolas que ainda consideram a arqueologia uma subárea da antropologia. De modo geral, a maioria das disciplinas irá fornecer conhecimento riquíssimo para um futuro arqueólogo.
  • Geografia – proporciona o ensino básico sobre sociedades, paisagem e dialoga com a geologia, principalmente através da geografia física. As disciplinas de geografia humana também poderão proporcionar conhecimento de grande valor. No entanto, alguns cursos são apenas focados na formação de professores na área, e não serão de muita ajuda.
  • Ciências Sociais – Talvez o mais recomendado, estes cursos geralmente proporcionam um ensino multidisciplinar, focando em cursos teóricos da filosofia, história, geografia, antropologia, (as vezes até mesmo arqueologia!), etc. Inclusive, oferecem disciplinas voltadas à metodologia científica específica das ciências sociais. E mesmo que não sejam totalmente iguais aos dos cursos de arqueologia ou geologia ou biologia, tal conhecimento teórico pode ser de grande valor para a arqueologia.
  • História – Estes cursos podem proporcionar conhecimento, obviamente, do contexto histórico da humanidade. Apesar de raros, alguns cursos permitem que o aluno realize trabalhos na área pré-histórica também, e inclusive oferecem alguma disciplina voltada à arqueologia! Estes cursos são excelente opções quando existem professores ligados a algum grupo de pesquisas em arqueologia. Mas quando não é o caso, cursos de história NÃO são recomendados como uma opção, pois historiadores e arqueólogos, de modo geral, atuam de modos extremamente diferentes, ao contrário do que muitas pessoas podem imaginar. A arqueologia usufrui dos métodos científicos para estudar evidências da história da humanidade, e com isso, escrever ou reescrever tal história. Já os cursos de história são geralmente focados apenas no estudo dos documentos escritos e, portanto, o contexto da história humana anterior ao advento da escrita é deixado de fora. De modo geral, o maior equívoco de quem quer fazer um curso de História para depois fazer um mestrado em Arqueologia é pensar que existem disciplinas em comum, mas isso é um grande engano. Disciplinas em comum entre os cursos de graduação em História e Arqueologia são raras. Alguns dos cursos de história também são focados apenas na formação pedagógica, cuidado!

Ainda assim, não se preocupe se não é possível começar pela formação plena em arqueologia já com uma graduação. A grande maioria dos arqueólogos mais velhos, inclusive professores de cursos de arqueologia, NÃO são graduados em arqueologia. Afinal, até poucos anos atrás esses cursos nem sequer existiam. Apesar de a maioria possuir pelo menos o doutorado em Arqueologia, foi o esforço particular de cada um deles que proporcionou o sucesso destes profissionais que são, originalmente, biólogos, geólogos, antropólogos e principalmente (contrariando o que foi dito agora há pouco) historiadores. Por outro lado, de nada adianta se graduar num curso de arqueologia plena e não se esforçar de maneira alguma, de modo que seu título de bacharel em arqueologia não passará de um mero papel (caso você consiga se formar). Conclusão: curso de arqueologia com certeza é o mais recomendado, mas o que mais vale mesmo é o sua própria força de vontade! Ser arqueólogo é o seu sonho? Vá a luta!

Nota importante: Nenhum curso de mestrado exige que o aluno tenha experiência anterior em arqueologia! Exige apenas que o aluno proponha um projeto de pesquisa e que faça uma prova com base nas bibliografias recomendadas pelo próprio curso. Portanto, você pode, realmente, se formar em praticamente QUALQUER outro curso antes do mestrado, DESDE que você escreva o projeto e passe na prova.

Será que não existe a chance de abrir um curso de graduação em Arqueologia perto de onde eu moro?

Talvez! As seguintes universidades estão fazendo planos:

  1. Universidade Federal do Maranhão (UFMA), em São Luis – Já está em andamento uma mobilização para implantação do curso. Estava previsto para 2015, mas aparentemente não deu certo.
  2. Universidade Federal do Cariri (UFCA), no campus de Icó – protocolo de intenções será firmado entre o IPHAN-CE e o Instituto de Estudos do Semiárido (IESA). Sem previsão.
  3. Universidade do Estado de São Paulo (UNESP), no campus do município de Ourinhos – Existe uma mobilidade de professores do campus e de professores de outras universidades, mas sem maiores informações até o momento. Sem previsão.
  4. Universidade de São Paulo (USP), no campus principal da capital – A mobilização de alguns professores do MAE existe há alguns anos, e uma proposta de um agrade de disciplinas sensacional foi criada. No entanto essa mobilização estagnou devido: As obras do novo prédio do MAE estão extremamente atrasadas; há assuntos burocráticos internos da universidade a serem resolvidos devido a mudança da reitoria da USP; e ainda há relutância de outros professores do MAE (que, aparentemente, não são muito a favor da graduação). Sem previsão.

 E os cursos de Mestrado e Doutorado? Como funcionam?

Antes de pensar em entrar na pós-graduação, você primeiro deve se atentar ao fato de que estes cursos funcionam de modo diferente das graduações! Vamos resumir da seguinte maneira: cursos de graduação oferecem o ensino básico da área e suas respectivas subáreas principais, oferecendo muitas disciplinas e certo graus de experiência prática (varia de acordo com a Universidade), e introduzem o aluno à pesquisa científica. Já os cursos de pós-graduação são voltados principalmente à pesquisa, e não fornecem todo o ensino básico.

Você ainda terá de fazer várias aulas, obviamente, mas os cursos de mestrado e doutorado não oferecem a mesma carga de horas de aula que uma graduação. Afinal, você terá de focar é no seu projeto de pesquisa! No Brasil, os cursos de pós-graduação em arqueologia funcionam da seguinte maneira.

Antes de entrar no curso você deve pensar num projeto de pesquisa, voltado a uma área específica da arqueologia, uma subárea de seu interesse pessoal. Você também deve entrar em contato com um professor do curso, de preferência alguém experiente na subárea que você pretende desenvolver seu projeto. Sua vaga depende da disponibilidade do orientador! Depois que você e seu novo orientador já estiverem em acordo, e seu projeto de pesquisa já estiver pronto para ser proposto à universidade, você finalmente poderá se inscrever para garantir sua vaga.

Apesar de não haver concorrência de vagas, como em um vestibular, você ainda será avaliado no seu conhecimento em arqueologia, seu conhecimento em outros idiomas, seu currículo acadêmico (Lattes) e seu histórico escolar de cursos superiores anteriores. Sua nota final dirá se você foi reprovado ou aprovado. Se você for aprovado, sua vaga estará garantida, mesmo que você tenha ficado em último lugar na classificação. Esta classificação servirá, no entanto, para concorrer a uma bolsa. Quanto melhor sua colocação, mais garantida é a chance de você receber uma bolsa mensal (um pagamento) de uma agência do governa federal que durá 2 anos no mestrado e 4 no doutorado. Se você optar por receber a bolsa, caso ela seja oferecida, você não poderá receber qualquer outro tipo de pagamento mensal (um salário, por exemplo).

Estes cursos de pós-graduação são recomendados apenas para aqueles que já tem um domínio básico da teoria e da prática arqueológica. Afinal, as universidades exigem um projeto de pesquisa na área, provas de conhecimento em arqueologia ANTES de começar o curso. Diferente da graduação, que geralmente tem mais ensino em sala de aula, o mestrado e o doutorado geralmente tem poucas aulas. O enfoque de uma pós-graduação é a própria pesquisa que você desenvolverá, com base no conhecimento adquirido nas disciplinas oferecidas pelas pós e na sua formação anterior. Esta pós-graduação ainda servirá para você se especializar em alguma, ou algumas, subáreas da arqueologia.

Quer saber por onde começar a estudar para prestar uma prova de mestrado ou doutorado? Clique no link abaixo:

Sugestões de livros para começar a estudar Arqueologia

Mas eu já sou graduado em Arqueologia! Então pra quê fazer Mestrado e Doutorado?

Além da grande experiência que você terá enquanto um pesquisador (algo que não é muito bem oferecido durante a graduação), esta titulação é uma exigência para diversos cargos importantes! Principalmente se você tem como objetivo permanecer no campo científico, no meio acadêmico. Mesmo que você não tenha esse objetivo, quanto maior é sua titulação, maior serão suas chances de emprego e de um melhor salário.

E onde tem Mestrado em Arqueologia no Brasil?

Atualmente 5 universidade oferecem o título de Mestre em Arqueologia:

  1. Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), no Rio de Janeiro (RJ)
  2. Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo (SP)
  3. Universidade Federal de Sergipe (UFS), em Laranjeiras (SE)
  4. Universidade Federal do Piauí (UFPI), em Teresina (PI)
  5. Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em Recife (PE)

Existem ainda 3 universidades que oferecem titulo de Mestre em Antropologia, mas com habilitação para arqueologia:

  1. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte (MG) – com áreas de concentração em Arqueologia
  2. Universidade Federal do Pará (UFPA), em Belém (PA) – com áreas de concentração em Arqueologia, e até mesmo em Bioantropologia
  3. Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), em Pelotas (RS) – com área de concentração em Arqueologia

É necessário lembrar que os cursos em arqueologia plena são mais recomendados devido a possibilidade de cursar mais disciplinas em arqueologia propriamente dita, além de possuírem um corpo docente mais variado em relação às subáreas arqueológicas.

E onde tem Doutorado em Arqueologia no Brasil?

Atualmente 4 universidade oferecem o título de Doutor em Arqueologia:

  1. Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo (SP)
  2. Universidade Federal de Sergipe (UFS), em Laranjeiras (SE)
  3. Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), no Rio de Janeiro (RJ)
  4. Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em Recife (PE)

Existem ainda 3 universidades que oferecem titulo de Doutor em Antropologia, mas com habilitação para arqueologia:

  1. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte (MG) – com áreas de concentração em Arqueologia
  2. Universidade Federal do Pará (UFPA), em Belém (PA) – com áreas de concentração em Arqueologia, e até mesmo em Bioantropologia
  3. Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), em Pelotas (RS) – com área de concentração em Arqueologia

E quanto aos cursos de especialização em Arqueologia?

Os cursos de especialização (também chamados de pós-graduação lato sensu) em arqueologia não são recomendados para quem quer se tornar um arqueólogo profissional e, portanto, não estão listados nesta página! Afinal, a maioria destes cursos é privado, e são voltados apenas à formação de técnicos que atuam em âmbito empresarial. A qualidade de alguns destes cursos no Brasil é muito questionada entre a maioria dos pesquisadores, uma vez que não capacitam ninguém a atuar plenamente como arqueólogo. Cursos de especialização à distância são ainda menos recomendados, uma vez que as atividades práticas de reconhecimento e análise de vestígios arqueológico, assim como atividades práticas de prospecção e escavação arqueológica não podem ser ensinadas à distância. Além disso, poucos cursos de especialização em arqueologia que são reconhecidos pelo Ministério da Educação atualmente. E, em acordo com a lei da regulamentação da profissão, a especialização em arqueologia não qualifica ninguém como profissional.

Os cursos de especialização são recomendados apenas àqueles que não tiveram oportunidade de se graduar em arqueologia, e querem se introduzir na área antes de tentar ingressar no mestrado ou doutorado em arqueologia, ou trabalharem na área como técnicos.

Ainda tenho dúvidas! Me ajuda?

Claro! Teremos prazer de tirar suas outras dúvidas (ou de pelo menos tentar). Basta enviar um e-mail pra gente:

arqueologiaeprehistoria@gmail.com

Anúncios

349 comentários

  1. Sonho em ser arqueólogo desde criança, e ainda alimento essa vontade. Acompanho todas as notícias que eu consigo relacionadas ao assunto, sempre com muito interesse. Mas fiz Psicologia (estou no doutorado) e trabalho com o desenvolvimento da cognição e da inteligência. Será que algum dia será possível conciliar as duas ciências? É algo que eu gostaria muito de conseguir fazer.

    • Oi, André! É completamente possível sim! Este mês será publicado um artigo de minha autoria na revista Teoria & Sociedade, sobre cognição e arqueologia. Venho tentando abordar a cognição humana faz algum tempo. EU recomendo que você leia alguns livros sobre arqueologia cognitiva. posso lhe enviar por e-mail, caso deseje. Envie um e-mail para arqueologiaeprehistoria@gmail.com e eu te envio umas leituras interessantes. Quem sabe você não resolve aplicar suas teorias e métodos da psicologia nos estudos de arqueologia? =) Eu te dou total apoio!

  2. Estou muita indecisa entre a faculdade de história e arqueologia. Gostaria de encontrar uma maneira de conciliar as duas. Sendo assim, pensei em fazer a faculdade de história e depois doutorado ou mestrado em arqueologia, é possível?

    • Eu também estou muito indecisa igual a você entre essas duas faculdades, moro em SP e o único curso de arqueologia que tem aqui é em Santos pelo que eu vi aqui no site, e Santos é muito longe de onde eu moro, mas de história é logo ali na USP e esta bem mais acessível, mas tenho vontade de fazer arqueologia então ta muito complicado!

      • Lembrando que história não é o mais recomendado. Pra quem gosta de humanas, a melhor opção é, na verdade, Antropologia. Isso, é claro, se realmente não for possível fazer o curso de arqueologia.

  3. Olá, estou muito em dúvida entre a faculdade de história e arqueologia. Assim em uma tentativa de conciliar as duas prentendo fazer a faculdade d história e depois cursos em arqueologia. É possível fazer mestrado e doutorado em arqueologia só com a faculdade d história? Com isso é possível trabalhar em pesquisas?

    • Olá, Giovana. É possível sim, no entanto começar pela história é o menos recomendado. Começar pela arqueologia com certeza trará uma formação científica melhor, principalmente com relação às teorias e métodos de pesquisa científica, que não são necessariamente os mesmos da pesquisa histórica. Se você tem interesse por ambos, talvez o mais interessante seja uma formação em arqueologia, mas focando suas experiências em arqueologia histórica. Na graduação em arqueologia você terá uma formação básica das principais disciplinas da área (incluindo histórica), e no mestrado e doutorado você pode voltar suas pesquisas especificamente a arqueologia histórica, como muitos fazem. Os cursos da FURG e da UFMG são boas opções de cursos de graduação onde você já tem a oportunidade de estagiar com professores da arqueologia histórica. =)

      Espero ter ajudado. Abraços!

  4. Sempre amei tudo relacionado à área de arqueologia e estou estudando Odontologia atualmente. Futuramente seria possível relacionar as duas ciências?

  5. Gostei muito deste site.Parabéns Juca.Poxa, achei que historia era porta de entrada para mestrado arqueologia.Aonde moro os cursos de historia são muito forte,com varias possibilidades para cursar.Como eu li em seu artigo, historia não muito recomendado.Mas não tenho muita opção.Sera que ao termino do curso de historia, conseguindo emprego neste ramo, posso ter algum beneficio para conseguir cursar mestrado em arqueologia?Tenho graduação em direito, mas foge muito do principio arqueológico??

    • Olá, Jefferson. Apesar de tudo, historiadores ainda são a maioria entre os alunos de mestrado em arqueologia, principalmente em estados onde não há graduação em arqueologia. E apesar de a maioria ter dificuldades com pesquisa científica, alguns com muito esforço tem se tornado ótimos arqueólogos. No final das contas, depende mais de você do que de sua formação. Não me lembro de ter conhecido alguém formado em direito que se tornou arqueólogo, mas também não vejo nenhum problema em seguir uma carreira em arqueologia posteriormente. Se você não tem opção de cursar arqueologia por enquanto, recomendo que comece a ler textos básicos e introdutórios a esta ciência, e buscar estágios em escavações por exemplo, a fim de ir aprendendo. Para se tornar arqueólogo de fato, só fazendo o curso de graduação, ou um mestrado e/ou doutorado depois.

      Alguns historiadores tiveram oportunidades de fazer seus TCC’s voltados à arqueologia. Isso depende dos orientadores do seu curso, se eles estão dispostos a isso ou não. De todo modo, isso ajuda bastante a se introduzir no campo. Espero ter ajudado.

      Abraços!

  6. Olá ! Não entendi bem, acho que vc vai ter que desenhar…rs.rs, quer dizer que História não tem nada a ver com a Arqueologia e não ajuda em nada neste campo???Você já viu as disciplinas, por exemplo , que o pessoal da UERJ cursa na Graduação de Arqueologia? Só dá história do, história de…… Acho que vc tem algum preconceito contra os historiadores e não quer contar…rs.rs. um abraço.

    • Oi, Elisabeth. Não é nada disso. O que acontece é que, de uma forma geral, na história não se aprendem teorias e métodos científicos como na arqueologia. Portanto, quem vem de outras áreas científicas para arqueologia tem uma maior facilidade para pesquisas acadêmicas. Historiadores, geralmente, tem dificuldades neste ponto. Por outro lado, nos cursos de história você poderá aprender sobre a história da humanidade já conhecida. Arqueologia e história tem sim tudo a ver, afinal arqueologia tem contribuído de inúmeras maneiras para escrever ou reescrever a história da humanidade no mundo através de teorias e métodos científicos. Desta forma a arqueologia é uma ciência histórica, além de ser extremamente interdisciplinar no uso das teorias e métodos (geologia, biologia, física, química, etc), e de quebra ainda contribui para estas outras áreas da ciência de vez em quando. De modo geral, a história, enquanto disciplina, contribui imensamente com a arqueologia reunindo todo os resultados destas pesquisas e inserindo-os no contexto histórico documentado já conhecido.

      É comum haver disciplinas sobre história de algumas coisas para entendermos os contextos, nos cursos de arqueologia. O arqueólogo precisa muito ter conhecimentos históricos (ou pré-históricos) de seus contextos de pesquisa, além de uma história geral da humanidade. No entanto, você não verá em cursos de história disciplinas voltadas, por exemplo, a análise de cultura material, métodos de escavação, registro de vestígios, etc. Quando muito, curso de história tem apenas uma disciplina geral sobre metodologia científica, e que nem sempre é suficiente para aprender a pesquisar no meio acadêmico. Ainda há alguns beeem raros que falam ago de pré-história (ou história da humanidade anterior ao advento da escrita).

      Espero que tenha esclarecido, Elisabeth! O texto será atualizado em breve, durante as férias, com mais informações. Abraços!

      • Eu de novo!
        Obrigada pela resposta, mas acho que André Prous ( graduado em História com mestrado idem), Annette Emperaire ( Filosofia) entre outros que não vieram de outras áreas” científicas” ,aparentemente, não tiveram muitos problemas para desenvolverem seus( excelentes) trabalhos)… ou se tiveram os resolveram muito bem… E mais, nos cursos “científicos” que vc comentou e que ajudariam muito a uma pessoa que quiser cursar Arqueologia ( Odontologia,Geologia,Psicologia,Biologia, etc) também não vemos disciplinas como ..”a análise de cultura material, métodos de escavação, registro de vestígios,etc”.
        Continuo achando que é preconceito!! Enquanto isto vou acabando a minha pós de Arqueologia, apesar de ser graduada em História ( fato que tem me ajudado muito) sim ,( e também em Administração) rs,rs,rs. Vou aguardar então a atualização do seu texto.
        Um Abraço!!

      • Olá, Elisabeth. Sinto muito que pense assim. Muitos professores nossos, formados em outras áreas, admitem ter tido dificuldades sim. Mas isso não quer dizer que eles não tenham tido sucesso, como podemos ver. Isso também não quer dizer que você também não possa. No final das contas, o que mais vale é o esforço pessoal, e não a sua formação base.

        Também há de lembrar que muitos desses professores não tiveram oportunidade de formação em arqueologia e, portanto, tiveram que se tornar arqueólogos de outra maneira. Mesmo estes professores formados em outras áreas vêem a importância da formação do arqueólogo a partir da graduação, e não apenas no mestrado ou doutorado. Infelizmente, ou ironicamente, muitos professores de arqueologia formados em história se pronunciaram contra as graduações em arqueologia. Em alguns casos graves chegaram a agir com discriminação sobre graduados e graduandos em arqueologia… Felizmente estes casos não são a maioria, mas tem se mostrado um preconceito enorme.

        Elisabeth, te parabenizo por buscar uma carreira em arqueologia, mesmo sendo formada em uma área não científica. Dentre estas áreas a história com certeza vai contribuir melhor que muitas outras (como a própria administração, que você citou), principalmente se você pretende se especializar em contextos históricos documentados. E boa sorte para aplicar as suas teorias e métodos na sua pesquisa de mestrado! Espero que não tenha os mesmo problemas que muitos colegas tem no começo. Sucesso!

        Abraços

      • Nada contra historiadores, Eliane. Mas o curso de história não é o mais indicado para começar um carreira em arqueologia, na maioria dos casos.

      • Olha adorei a resposta da Elisabeth Simões. Olha o preconceito contra os historiadores (brincadeira). Mas falando sério, acho que pelo contrário, a história ajuda e muito quem faz ou deseja fazer arqueologia. As matérias de história que possam não fazer parte da grade curricular de arquerologia nada influenciam no sentido de formação, sendo que cada novo elemento estudado em um determinado curso é assimilado como qualquer outro. Estou terminando minha graduação em história e vou fazer arqueologia, trabalho com arqueólogos e não vejo nenhuma dificuldade como mencionada acima de ” supostamente a história não ajudar ou até dificultar a assimilação de conteúdos arqueológicos em uma pós-graduação”. Acho sim que independente do que se tenha estudado anteriormente, o que vale é o esforço particular de cada um e o principal: O desejo de ser um arqueólolgo!

  7. Estou na dúvida se faço arqueologia ou me formo para historiador, pois não sei bem a diferença de ambos, eu gostaria de trabalhar com localidades históricas, coisas como construções antigas, povos antigos. Qual dos dois você recomendaria? Se eu me formar em arqueologia poderei trabalhar com estudo de localidades históricas ou apenas com escavações e estudos de objetos usados antigamente?

    Se poder me tirar essa dúvida, ou pelo menos puder me explicar exatamente como é o trabalho de um arqueologo agradeço e muito, obrigado.

    • Olá, Mateus! Os arqueólogos não trabalham, necessariamente, em contextos pré-históricos. Arqueólogos realizam suas pesquisas em qualquer contexto de presença humana. Se você gota de sítios históricos e gostaria de estudá-los, a melhor opção ainda é a arqueologia, pois uma das grandes subáreas desta ciência é a arqueologia histórica. Sítios históricos não necessariamente necessitam ser escavados sempre. O que o arqueólogos faz é analisar a cultura material destes sítios, ou seja, analisar os vestígios materiais (objetos de louça, metal, sepultamentos com esqueletos, restos de alimentos), a arquitetura, a distribuição dos materiais no espaço, ou do próprio sítio histórico na cidade/fazenda. Se você optar por fazer história, provavelmente lhe faltará experiência de campo, e experiência de aplicação dos métodos e técnicas científicas de análise, além de lhe faltar a base teórica para interpretação dos contextos. No curso de história você aprenderá muito mais sobre o período histórico e o contexto político de diferentes lugares, além de focar nos documentos escritos (que não necessariamente expressam a realidade da época).

      Eu recomendaria fortemente fazer arqueologia, pois ao começar a se especializar em arqueologia de períodos históricos você poderá facilmente ler e aprender sobre o contexto histórico e político dos sítios (localidades) que você estará estudando. Alguns cursos de arqueologia ainda oferecem disciplinas de história e até mesmo paleografia (leitura de escrituras antigas) como disciplinas optativas. Resumindo: fazer história te dará um apanhado geral sobre a história geral de diversos lugares desde quando inventaram a escrita, mas lhe faltará muita conhecimento teórico e prático para realmente realizar um estudo completo de sítios históricos. Não é a toa, em muitos países a arqueologia é vista como a parte científica da história. E história seria apenas o ato de documentar os resultados de tais estudos. No Brasil as pessoas vêem ambas de formas distintas. Mas em todos caso, as grades curriculares dos dois cursos são extremamente diferentes.

      Espero ter esclarecido. Abraços!

  8. O post realmente me ajudou muito, tenho 14 anos e quero fazer arqueologia desde criança eu gostaria de ser arqueológo mas não tive nenhum apoio mas agr ñ ligo mais para isso e tenho certeza que vou conseguir.

  9. O post realmente me ajudou muito, tenho 14 anos e quero fazer arqueologia desde criança eu gostaria de ser arqueológo mas não tive nenhum apoio mas agr ñ ligo mais para isso e tenho certeza que vou conseguir.

  10. Eu tenho 14 anos e sonho em ser arqueóloga, espero que existam mais universidades quando for a minha vez! Se for a da USP então melhor, mesmo se não der vou tentar fazer outros cursos como você falou, obrigada por esse texto ele me incentiva ainda mais a ser uma arqueóloga

  11. Olá, gostaria de saber duas coisas. A primeira é se posso fazer arqueologia mesmo não sendo formado em nenhum curso. A minha outra pergunta é, se eu fizer geografia, poderei fazer graduação em arqueologia depois? Aguardo pela resposta.

    • Oi, Anderson!

      Você pode cursar graduação em arqueologia sem ter feito nenhum curso antes, é claro. Basta passar no vestibular. E não tem problema nenhum em fazer geografia primeiro.

      Abraços

      • Obrigado por responder. Será que teria problema em fazer arqueologia diretamente? Sem nem ter feito história, geografia, ou qualquer outro curso que envolva. Seria mais difícil?

      • Anderson, se você fizer arqueologia diretamente é melhor ainda! Com certeza é o melhor a se fazer, se você quer ser arqueólogo. Não é mais difícil não, é ainda mais fácil. 😉

  12. Você falou que a FURG é uma ótima universidade com curso de arqueologia, mas ela abriga alunos que queiram fazer o curso e moram longe? Onde eu moro as universidades não disponibilizam esse curso, mas não quero desistir dele. Sabe informar qual universidade que possui o curso abriga alunos de outro estado?

    • Oi, Deryk.

      Todos os cursos aceitam pessoas de outros estados. Não existem restrições. Você só não conseguirá acompanhar o curso caso queira morar muito longe do curso. Afinal, tem aula praticamente todo dia.

      Abraços

      • Mas a minha pergunta é justamente sobre isso. Me falaram que algumas universidades do Brasil abrigam alunos que moram longe na própria universidade. Como moro longe, e na minha cidade não tem o curso, vou ter que sair para outro estado para fazer o curso de arqueologia. Você conhece alguma universidade que possui o curso, e abrigam alunos para morarem na faculdade?

      • Existem algumas sim, Deryk. Mas você deve comprovar renda, pra provar que você nem sua família podem bancar um aluguel na cidade. A burocracia varia de universidade pra universidade. Sugiro que você busque sobre as exigências da CEU (Casa do Estudante Universitário) da universidade que você pretende ir.

  13. Parabéns Juca, maravilhoso texto. Infelizmente não possuímos nenhum curso relacionado ao campo na Paraíba, porém existe uma ONG que reuni todos os pesquisadores e curiosos da área com o objetivo de desenvolvimento científico, somos a Sociedade Paraibana de Arqueologia – SPA e mensalmente lançamos nossos boletins.

    http://arqueologiadaparaiba.blogspot.com.br/

  14. Boa tarde, Juca! Sou de Belo Horizonte e me formei na graduação em dezembro de 2015 em Geografia. Sempre sonhei em fazer arqueologia, amo civilizações pré-colombianas, e por isso sou mochileiro e sempre junto dinheiro e viajo para conhecer sítios arqueológicos pela América, já estive em alguns no Perú, Bolívia, e em janeiro de 2015 fui para o México e somente lá fui em 21 sítios arqueológicos, fiz alguns amigos e tal, e agora tenho pensado em fazer algo na área da arqueologia, estive pensando em buscar alguma universidade no México para fazer a graduação ou especialização não sei….quatro perguntas:
    1-Você acha que um curso de arqueologia num país tipo Perú, México, teria maior qualidade, por serem locais onde há maior abundância de sítios arqueológicos ou afins?
    2-Tem conhecimento sobre algum programa para se ir e cursar lá, pois, a verdade é que não tenho condições de bancar isso, sem trabalhar por exemplo?
    3-Você acha que com meu bacharelado em Geografia, haveria a chance de eliminar algumas disciplinas caso eu resolva fazer a graduação em Arqueologia?
    4-Sem querer abusar, a última pergunta, o que seria melhor, fazer o curso de graduação em Arqueologia (outro estado), ou o Antropologia com habilitação da UFMG, que me parece ser o único existente em BH?

    Muito obrigado pelos futuros esclarecimentos.

    Atenciosamente,

    Euclides Dayvid

  15. Oi!! Estou no segundo ano do ensino médio, mas me interesso por arqueologia desde que me entendo por gente, sempre fui fascinada em história, e mesmo que não tenha tanta ligação, era o mais perto que tinha dessa ciência. Eu ainda tenho muito que aprender, todavia quanto mais procuro saber sobre, cada vez mais me interesso e mais cursos me deixam fascinada, sou uma amante da natureza ligada à nós, até porque somos da natureza, mas eu não sei dizer arqueologia é o meio mais interessante pra mim. Queria receber mais dicas sobre a mesma, um pouco mais sobre a faculdade em si, se eu preciso abrir mais meus horizontes para ter uma certa certeza, sabe? Estou tão elétrica, espero que possa me ajudar, desde já obrigada pela informação.

    • Oi, Gabriela! Que bom que você tem interesse pela arqueologia. Aqui no site você pode navegar e buscar por outras informações. Fica difícil te dar mais informações se você não dizer exatamente que tipo de informação você quer sobre os cursos.

      Abraços

  16. Bom dia.
    Sou biólogo e professor (há 19 anos) , e desenvolvo pesquisas no Brasil há pelo menos 10 anos. Tenho interesse em desenvolver uma PG com habilitação em arqueologia. Já tenho doutorado e sou professor e orientador de curso de PG strictu sensu.
    Moro no sul de MG e já realizei vários projetos ambientais na região de arcos,pains, luminárias. Gostaria de uma sugestão de um programa aqui em MG, visto que tenho interesse e facilidade em trabalhar na região da Serra da canastra.
    Aguardo contato.
    Obrigado.

    • Olá, Bruno!

      A verdade é que em Minas Gerais não existem muitas opções de Pós em arqueologia. De fato, a única opção é a pós-graduação em Antropologia com habilitação em Arqueologia da UFMG em BH. Alguns professores da área pré-histórica realizam pesquisas no sul de MG.

      De todo modo, se você não se importar em se deslocar para outros estados, é completamente possível realizar sua pesquisa em MG, mesmo cursando a o seu novo mestrado ou doutorado em outro local. Os cursos de arqueologia da UFRJ e a USP, por exemplo, possuem professores que adorariam orientar um pesquisador já experiente, principalmente se você optar por uma pesquisa voltada à bioarqueologia: como osteoarqueologia, zooarqueologia ou arqueobotânica.

      Abraços!

      • Prezada JuCa boa tarde. Obrigado pelo esclarecimento. Tenho outra dúvida. Assim como nos projetos de pesquisa ambiental para licenciamento (LP, LI, LO), todas as sub-áreas da arqueologia pré-histórica são aceitas dentro das exigências do IPHAN para fornecer subsídios aceitáveis para o licenciamento ambiental de diferentes empreedimentos (PCHs, UHEs, Usinas termelétricas, Usinas eólicas, parques industriais, entre outros), ou há alguma especificidade? Desculpe minha ignorância, mas não domino as exigências dessa área. Obrigado.

      • Oi, Bruno. De fato, a exigência é que se realize um resgate de todos os tipos de vestígios arqueológicos possíveis antes do início das obras. Em alguns casos, mesmo após a obra um arqueólogo fica monitorando as obras caso apareçam novos vestígios durante a obra.De forma resumida: não há especificidade quanto as “subáreas de pesquisa”, as abordagens, que serão realizadas.

        De todo modo, o que se faz é escavar esses sítios nas áreas direta e indiretamente afetadas. As subáreas de pesquisa arqueológica (zooarqueologia, arqueologia histórica, análise lítica etc) dependem dos tipos de vestígios encontrados no sítio e dos tipos de abordagem de pesquisa que os arqueólogos querem aplicar sobre os sítios. Ou seja, não há uma especificidade. O que importa é fazer uma levantamento dos sítios na região, escavar e coletar o materiais, seguindo métodos previamente descritos no projeto, e posteriormente analisar esses materiais em laboratório. Essa análises são feitas pelos “especialistas” em cada tipo de material. E por fim, relatórios para o IPHAN devem ser enviados contendo as informações mínimas da pesquisa de campo e laboratório. Quando há tempo e dinheiro os arqueólogos fazem coisas mais sistemáticas, de qualidade.

        No link a seguir você pode acessar alguns documentos que especificam as normas legais:
        https://arqueologiaeprehistoria.com/legislacao-brasileira-relacionada-a-arqueologia/

        Espero ter respondido sua dúvida.

        Abraços

  17. boa tarde
    pretendo fazer ciências sociais, mas nem pesquisei sobre o curso essas matérias podem ser eliminadas no curso de ciências sociais

    Civilização e Cultura
    Pré-História: Ancestrais Humanos
    Pré-História: Migrações e Culturas
    Civilizações Antigas
    História Antiga
    Investigação Arqueológica
    Arqueologia: Origem da Humanidade
    Análise Arqueológica: Cerâmica
    Análise Arqueológica: Restos de Animais
    Análise Arqueológica: Solo e Pedra
    Arqueologia
    Investigação de Campo na Arqueologia

    • Olá, Hélio! Não entendi seu comentário. Você está perguntando se essas disciplinas podem ser feitas num curso de ciências sociais?

    • Olá, Jessica. Mestrados em ciências geralmente não são oferecidos à distância, pois é necessária a realização de uma pesquisa. Em arqueologia eles não existem. Abraços

      • Olá , só queria me focar mais no assunto, sempre sonhei em ser arqueólogo ou me focar na biologia nunca fiz nenhuma faculdade acabei de termina o ensino médio e queria começar os meus estudos em arqueológica , qual e a melhor maneira de começa nesse estudo e aprender mais sobre esse trabalho fascinante queria uma ajuda de vocês por onde devo começar ?

      • Olá, Kevin. Comece lendo livros sobre arqueologia. Existem diversos em português nas livrarias. Mas cuidado para não comprar livros sensacionalistas. Verifique se o autor do livro é de fato um arqueólogo. Abraços

  18. Vou ingressar no curso de arqueologia esse semestre e estou na dúvida em que instituição me matricular, na federal de sergipe ou na univasf de são raimundo nonato. Não consigo achar a avaliação do MEC atualizada. Conheci a cidade de São Raimundo Nonato, e pelo contexto em que ela está inserida suponho que la haverá mais campo, porém, em sergipe existe um laboratório de arqueologia aquatica que me interesso. Sergipe também possui mais políticas de assistências estudantis, que é o que anda pesando mais nessa decisão, além de ser uma cidade mais acessível. Apesar de tudo gostaria de uma segunda opinião sobre os cursos, que é o mais importante, qual instituição tem um melhor histórico acadêmico e etc..

    • Olá, Zurack! Tenho colegas que se tornaram bons arqueólogos vindos da UNIVASF. No entanto, atualmente, a UFS possui o melhor corpo docente e a melhor nota no MEC. A UFS também oferece experiência prática. Inclusive em arqueologia subaquática. Nesse sentido, acho que a UFS seja a melhor opção para você.
      Abraços

  19. Gostaria de sabe se eu me gradua nessas coisa de doutorado graduação e possível eu ganha uma bolsa pra fazê escavações espero resposta
    Meu email: Marceloguimaraesmv2@outlook. Com manda resposta pró meu email

    • Marcelo, você só ganha bolsas para escavação se for arqueólogo e propuser um projeto a uma instituição de financiamento, como CAPES, CNPq, etc. Você também deve estar ligado a uma instituição de pesquisa.

  20. Há algum tempo tenho vontade de fazer o curso de Arquiologia, desde que trabalhei em Museu e Monumento, mas, encontro obstáculos para fazer, moro em Brasília e n tenho referências sobre o curso aqui. Faço Psicologia e pretendo cursar Sociologia ou Antropologia para chegar até a Arqueologia mais n sei bem se é possível se alguém poder me orientar sobre este assunto, agradeço muito!!

    • Oi, Fabiana. Existe ocurso de graduação em Arqueologia aí pertinho, em Goiânia! Sua opção é possível sim, mas de todo modo uma hora você terá de sair de Brasilia, seja pra fazer um metrado ou doutorado em Arqueologia. Talvez fosse melhor aproveitar que Goiânia é aí do lado e fazer a graduação mesmo.

      Abraços

  21. Boa noite!
    Moro no interior de São Paulo (Vinhedo).
    Estou cursando o último semestre em Geografia (licenciatura).
    Sou um amante da arqueologia e sempre acompanho sites, revistas ou outros meios de comunicações que envolva arqueologia.
    Minha pergunta é sobre a Universidade (Unisa), que tem o curso em (Arqueologia,História e Sociedade).
    É recomendável como porta de entrada para o mundo da arqueologia?
    Fico no aguardo!!!!
    Abraços

    • Oi, Reinaldo.

      Não, Unisa não é uma boa opção, pois ela é apenas uma especialização. O mais recomendado é fazer um dos cursos indicados no texto, de graduação ou mestrado, quando terminar o curso de geografia. A USP possui um mestrado em Arqueologia, por exemplo.

      Abraços

      • Juca, muito obrigado pela informação.
        Desculpa novamente pertubar, pesquisando sobre pós graduação, achei o Instituto de Arqueologia Brasileira(IAB), no Rio de Janeiro.
        O que você tem de informação sobre o curso ministrado pela instituição?
        Muito obrigado.

    • Olá Reinaldo,

      Sem querer criar polêmicas, mas deixando minha opinião de licenciada em Geografia e cursando a especialização em arqueologia na Unisa, posso te responder que sim. É uma porta de entrada para você se apaixonar e iniciar seus estudos em arqueologia e se preparar para um futuro mestrado e doutorado. Os professoras são brilhantes, fazem um trabalho sério e realmente se empenham em oferecer o melhor para nós. Como em todo curso, existem pontos negativos e coisas a melhorar. Dá uma pesquisada sobre estes professores: Professora Dra. Adriana Ramazzina, Professor Dr. Alvaro Allegrette e Professora Dra. Camila Diogo Souza.
      Abraços,

      Michele

  22. Reinaldo, veja bem os curso citados no texto. Especializações NÃO são suficientes para a formação de um arqueólogo no Brasil. No RJ existem a graduação da UERJ ou o mestrado do Museu Nacional, os quais são sim boas opções.

  23. eu moro numa cidade muito pequena na bahia, e nao tenho muitas condiçoes de sair pra fora vi que a faculdade mais perto de mim, e em paulo afonso, e eu moro em piritiba, existe alguma faculdade que posso fazer por aq perto que futuramente ligue a arqueologia?

    • Oi, Alikis.

      Infelizmente não temos conhecimento de nenhuma faculdade mais próxima. Existe o curso de História em Barreiras, onde há disciplinas de arqueologia sendo oferecidas no curso. Mas creio que Paulo Afonso ainda seja mais perto.

      Abraços

  24. Olá! Recentemente o site do UOL publicou uma reportagem que continha uma foto muito parecida com a figura de uma hashtag e que havia sido encontrada em uma caverna no sul da Espanha. Alguns cientistas diziam que poderiam ser inscrições feitas pelo homem de neandertal. Algum tempo atrás encontrei em minha propriedade uma pedra com formato bastante interessante e com riscos muito parecidos com a hashtag. A quem devo encaminhar a pedra para avaliação aqui em Curitiba?

  25. Sempre quis fazer arqueologia, mas devido a falta de curso em SP, optei por técnico em química. Existe a atuação de químicos no ramo de arqueologia? Qual o curso mais próximo do ramo em SP?

    • Oi, Ricardo. Todos os cursos estão listados no texto. O mais próximo seria o curso de Santos, mas infelizmente o curso é novo e não possuímos nenhuma informação sobre ele. Uma opção seria o curso da UERJ, no Rio de Janeiro, razoavelmente próximo de SP. Muitos químicos atuam na arqueologia, principalmente numa área denominada “arqueometria”. Ela é uma aplicação dos métodos das ciências exatas (principalmente física e química) nos estudos arqueológicos. Ela serve para identificar assinaturas isotópicas em esqueletos, rochas e cerâmicas, por exemplo, de modo que conseguimos identificar origens desses materiais em diferentes lugares do mundo. Se tiver mais dúvidas sobre isso envie um e-mail para arqueologiaeprehistoria@gmail.com, e assim podemos coloca-lo em contato com alguém da área. Abaixo está um link com um vídeo sobre esse tema:

  26. Sou estudante de antropologia do primeiro semestre pela Universidade de Brasília e tive meu primeiro contato com arqueologia há algumas semanas, foi paixão à primeira vista! Como pretendo formar a graduação ainda aqui na UnB, gostaria de saber se há pesquisas da área dentro desta universidade. Recomendações de leituras que relacionem antropologia biológica/social com áreas da arqueologia também me seriam muito útil. Desde já agradeço a publicação desta postagem, tirei dela informações muito pertinentes, e sua atenção.
    PS. se possível, mande as recomendações para o e-mail “luccagiorgi@gmail.com”, muito obrigado novamente 😀

    • Oi, Lucca. Não conheço a UnB, mas ela não é conhecida por pesquisas arqueológicas no Brasil. Antropologia e Arqueologia possuem muitas cosas em comum. Bioantropologia, hoje, tá mais relacionada com arqueologia do que com a própria antropologia, de modo que muita gente tá passando a usar o nome “Bioarqueologia”. Antropologia social/cultural tem muita relação com a arqueologia no que se refere a história de muitas teorias arqueológicas.

      Encaminhe um e-mail para nós, detalhando mais especificamente o que você quer, e podemo lhe passar alguns textos. arqueologiaeprehistoria@gmail.com

      Abraços

  27. Olá, gostei muito do seu artigo, esclareceu muitas de minhas dúvidas, porém não todas. Eu vou cursar esse ano bacharel em geografia, mas queria muito fazer arqueologia o problema é que esse curso não tem no meu estado e não tem como eu ir para outro estado. Além disso, quero fazer mestrado em geologia. A ideia que tinha em mente antes de ler o seu artigo era fazer uma especialização em arqueologia, mas vejo que não é muito indicado já que serei mais uma técnica em arqueologia do que uma arqueóloga. Essa é a minha dúvida como faço para conciliar geografia/geologia com arqueologia?

    • O que você acha de fazer um curso de Geologia, ou Geociências, e depois um mestrado em arqueologia? Existem poucos arqueólogos atualmente que conseguem conciliar ambas as ciências tão bem, e os melhores da área atuando no Brasil fizeram exatamente isso. Afinal, arqueologia não existia como bacharelado ainda na época deles. O que você acha desta idéia? PS: De que estado você é?

      • E aqui em Macapá não tem geologia nem geociências e não tem como eu ir para outro estado. Então, nesse caso só me sobra geografia. Além disso gosto tanto de geografia quanto de arqueologia, por isso, optei por geografia e não história (e acho q fiz muito bem em não ter feito vestibular pra história), é q eu pensava q arqueologia/história se casavam e isso me traria vantagens em relação a arqueologia. Mas depois de ler seu artigo vejo q não é bem assim. A propósito obrigada pela ideia, gostei dela, mas não vai rolar

      • Então Geografia pode ser uma excelente opção, desde que você se empenhe bem, principalmente em geografica fisica. Além do mais, Macapá possui um instituto de arqueologia com pesquisadores que podem te ajudar. Talvez até mesmo fazendo estágio, e qum sabe até o final do curso você já não está conciliando geografia e arqueologia? Se tiver interesse, envie um e-mail para arqueologiaeprehistoria@gmail.com e podemos te ajudar com isso 😉

  28. Olá, gostei muito do seu artigo, esclareceu muitas de minhas dúvidas, porém não todas. Eu vou cursar esse ano bacharel em geografia, mas queria muito fazer arqueologia o problema é que esse curso não tem no meu estado e não tem como eu ir para outro estado. Além disso, quero fazer mestrado em geologia. A ideia que tinha em mente antes de ler o seu artigo era fazer uma especialização em arqueologia, mas vejo que não é muito indicado já que serei mais uma técnica em arqueologia do que uma arqueóloga. Essa é a minha dúvida como faço para conciliar geografia/geologia com arqueologia? Devo fazer uma segunda graduação?

  29. Olá Juca …..Passei na Unimes [ Santos ] para o curso de Arqueologia …. Por diversos problemas [ moradia $$ etc e etc … ] não deu para iniciar o curso [ + to de boa ] sou de SP Capital e estou de mudança para o RJ , vou me concentrar na [ Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) (Rio de Janeiro, RJ) ] … com todas minhas forças ….é a unica Graduação que me deixará realmente feliz…………………ABÇs.

    • Olá, Derik. Você saberia dizer se esse curso da UNIMES chegou a abrir turma? Não estamos sabendo de nada sobre este curso. Espero que dê tudo certo na UERJ! Abraços

  30. Olá, meu nome é Paulo e estou à procura de um curso de especialização em arqueologia bíblica à distância ou presencial na região de Belo Horizonte (MG). Sabem me dizer se existe?

  31. Estou no 5*Período do curso de bacharelado em Arqueologia pela UEA…E gostaria de fazer um mestrado na área. ..
    Como faria para realizar meu strictu senso

    • Oi, Clarindo!

      Para ingressar no mestrado você deve, antes de tudo, pensar num projeto de pesquisa, ou ao menos o tema deste projeto. Depois disso você deve entrar em contato com um professor(a) para te orientar durante o mestrado. Nos sites de cada departamento de arqueologia existem listas de professores que podem te orientar. Entre em contato com um professor ou professora que atue, ou tenha alguma experiência, no tema da pesquisa que você pretende realizar.

      Depois disso você deve se inscrever para as provas de ingresso. Os editais são divulgados nos sites dos departamentos. Fique de olho! Depois é só comparecer no dia das provas para fazer as provas de conhecimento básico em arqueologia, prova de idiomas (inglês, geralmente), avaliação do seu projeto e avaliação do seu currículo. Algumas universidades ainda realizam entrevistas com o candidato.

      Espero que tenha ajudado. Se tiver outra dúvida mais específica entre em contato conosco através do nosso e-mail arqueologiaeprehistoria@gmail.com

  32. Oi JuCa! Parabéns pelo artigo, bastante informativo.
    Já a um bom tempo que penso em fazer um mestrado em arqueologia, porém não sei se minha área de graduação está inserida nesse meio. Sou formado em Arquitetura e Urbanismo, e, durante a graduação, aprendi muito sobre história da arte e arquitetura. Por sempre me interessar sobre os temas históricos, creio que me daria bem na pós graduação em arqueologia, principalmente na linha de pesquisa do período clássico.
    Porém, aqui em São Paulo, o processo me pareceu um tanto quanto confuso. Só a USP fornece esse tipo de mestrado, e as etapas são … árduas…. pra dizer o mínimo. Não faço ideia sequer de como entrar em contato com um(a) professor(a) de lá, quem dirá dele(a) me aceitar como orientando. É necessário fazer um ante-projeto de pesquisa “do nada” antes de apresentar para ele(a) decidir se me aceita como orientando? É isso mesmo, ou estou equivocado?
    Desde já, agradeço a atenção.

    • Oi, Renan! Arquetetura e urbanismo podem se encaixar sim perfeitamente na pesquisa arqueológica, principalmente de períodos onde a arquitetura já era desenvolvida, obviamente.

      Realmente, em SP apenas o MAE-USP oferece o mestrado. Basta ver a lista de orientadores no site do departamento, ver quais são suas especialidades, e simplesmente enviar um e-mail para o(a) professor(a) explicando seu interesse, sua área de formação, etc. Apesar de você ainda não ter idéia do projeto que gostaria de realizar, o próprio professor ou professora pode te sugerir uma idéia. Quem sabe não tem algum professor de arqueologia clássica no MAE precisando de alguém com experiência em arquitetura? Se tiver mais alguma dúvida específica sobre o processo seletivo, ou sobre quem seriam os professores mais aptos a orientar, etc, envie um e-mail pra gente e podemo tentar te ajudar: arqueologiaeprehistoria@gmail.com

      Abraços

  33. Olá, boa noite! Sou estudante de artes visuais e tenho muito interesse em buscar leituras cujo tema é gravuras rupestres, qual seria o melhor eixo de norteamento? Desde já, agradeço!

    • Olá, Reis! Uma de nossas colaboradoras está preparando uma matéria especialmente sobre este tema, contando com sugestões para leitura. Fique de olho, ok?

      Mas você pode ir procurando alguns artigos no site “Science Direct” sobre “rock art” para ir tendo uma idéia de como são realizados os estudos de representações rupestres.

  34. Olá, boa noite! Meu nome é Amanda e me apaixonei por arqueologia por curiosidade, lendo os livros de Zecharia Sitchin. Sou formada em Direito e gostaria de saber se existe algum mestrado ligado ao Direito na arqueologia. Obg!

    • Oi, Amanda. Zecharia Sitchin é uma péssima referência! Os livros dele não são sobre arqueologia. É sobre uma doutrina religiosa que ele seguia. Arqueologia não tem nada a ver com isso.

      Não existe nenhum curso que relacione arqueologia com direito diretamente. Contudo, você pode elaborar um projeto que faça isso. Por exemplo, uma dissertação que discuta a legislação arqueológica om uma boa base bibliográfica.

      Abraços

  35. Oi, parabéns pelo artigo, tenho um sonho de ser arquélogo, porem onde moro aqui no estado do ceará não é disponível este curso, atualmente estou cursando o 1° semestre em Bacharelado em Humanidades que é um curso hibrido que tem terminalidades em historia,antropologia,pedagogia e sociologia. O que seria o mais recomendável para mim terminar a primeira parte do curso que dura 2 anos e tentar estender em arqueologia ou concluir o curso nas duas partes , e fazer outro bacharel em arquelogia?

    • Não sei e entendi certo. Bom,caso não seja possível cursar arqueologia, seria mais aconselhável se aprofundar em Antropologia com certeza. Após formado você poderá tentar um mestrado em arqueologia.

      Abraços

  36. Olá Juca eu novamente ….sou de SP Capital e a Unimes oferece o curso , prestei vestibular , fui aprovado , porém a soma da distância + moradia + trabalho + mudança de Estado e etc… não pude dar inicio as aulas …….para o Estado que mudarei RJ a UFRJ oferece somente Pós – Mestrado em Arqueologia ……….penso em fazer : Ciências Biologica que fornece o conhecimento básico da Evolução, da Estatística, da Anatomia Humana, da Osteologia, da Botânica, da Zoologia e de diversas outras importantes à formação arqueológica. ……..OQUE VC ACHA …………………………+ A minha pergunta é : Se eu seguir esses passos ao termino desse caminho , poderei dizer que sou Arqueologo mesmo com a Graduação em Ciencias biologica ?

    • Oi, Derik. Não, você só poderá dizer que é biólogo. Ainda faltará muita carga de estudos para se tornar arqueólogo. No mínimo precisará de um mestrado em arqueologia.

      Se você vai para o Rio de Janeiro, saiba que a UERJ oferece a graduação em Arqueologia também.

      Abraços

      • VERDADE …. tava fazendo confusão com UFRJ ………………o certo é UERJ……rs……vou correr atrás ………abçs

  37. qual curso você indica antes de fazer arqueologia, um que realmente vai ajudar.. jurava que historia séria minha ajuda, mas pelo o que fala é um pouco diferente. aguardo pela resposta.

    • O mais indicado é o próprio curso de arqueologia. Se você não puder cursar, considere os cursos de geociências, biociências ou antropologia.

  38. ola Juca , minha formação é licenciatura em geografia, pedagogia e agora estou fazendo pós em antropologia e logo terminarei, mas meu sonho mesmo é fazer arqueologia , mas em minha cidade : Limeira-SP não tem esse curso, então estou pensando seriamente em tentar um mestrado em SP na USP , a minha pergunta é se vc acha que com esses cursos que eu tenho eu teria chances de fazer um mestrado? obervação: ( estou sempre por dentro de assuntos ligados a arqueologia , tanto na leitura de livros como pesquisa pela internet mesmo ) desde já agradeço . Um abraço

    • Olá, Rober. Você tem boas chances sim! Procure um(a) orientador(a) no MAE-USP que trabalhe com o tema que você pretende pesquisar e entre em contato com ele(a). Basta você se dedicar bastante na leitura e tentar participar de estágios de campo e laboratório para ir aprendendo até lá. Abraços!

  39. Juca, com formação em engenharia mecânica é possível seguir a carreira (mestrado, …) em arqueologia? Existe algum conteúdo próprio da engenharia que seja utilizado para a arqueologia (estudo dos materiais, etc…)?

    • Oi, Renan. Se você estudar bastante e se dedicar consegue um mestrado sim. Só não saberia lhe dizer o quanto, ou que áreas, da engenharia podem ajudar na arqueologia. Eu imagino que há várias coisas no estudo de materiais que irão ajudar, mas como nunca vi uma ligação direta nas duas áreas não sei dizer. Mas como eu disse, estudando e se dedicando sempre tem como entrar na área.

  40. olá, sou graduada em serviço social, gostaria de fazer uma pós que focasse arqueologia histórica, experiências de campo, diferentes culturas, viagens, porém não gosto muito das geologia e biologia que a profissão reúne, gostaria de saber qual o peso destas disciplinas nesta área que quero focar?

    • Oi, Vera. O quanto essas áreas vão pesar na sua área de estudo depende diretamente daquilo que você pretende pesquisar. Mas algumas coisas da geologia e da biologia serão sempre fundamentais para entender o contexto de uma escavação.

  41. olá, sou graduada em serviço social, gostaria de fazer uma pós para arqueologia, e o que mais me interessa subárea histórica, diferentes culturas, viagens, experiências de campo.. porém não gosto muito de geologia e biologia, qual o peso destas disciplinas neste curso? será que minha área é outra, tipo antropologia?

    • Vera, para ser arqueólogo você não pode fugir de nenhuma das 3 áreas. Eu mesmo, por exemplo, não gosto de Antropologia, mas a importância dela dentro da arqueologia é enorme. Sem um conhecimento básico de antropologia não seria possível realizar minhas pesquisas. Se você não tem interesse nenhum em ciências multidisciplinares como a arqueologia, melhor estudar antropologia (mas mesmo a antropologia lida com a biologia às vezes).

  42. Oi Juca,
    então em São Paulo capital, não tem Universidade federal de arqueologia? E qual Universidade de Antropologia você recomenda, já que você disse que seria um dos caminhos. Ah! e o que você recomenda de leitura para começar a se ambientar? Obrigado, muito interessante este site.

    • Olá, Rogério.

      Em São Paulo não á graduação em arqueologia mesmo, apenas o Mestrado e o Doutorado na USP.

      Cursos de Antropologia recomendados seriam os cursos da UFMG e da UFPel, que possuem linha de formação em arqueologia. Já os cursos de Antropologia de demais universidades brasileiras que conheço não possuem nenhuma disciplina sobre arqueologia em suas grades curriculares. Logo, minha recomendação seria um curso de antropologia de uma universidade (ou cidade) que possua ao menos um programa de pós-graduação em arqueologia, tornando possível o contato com professores que podem te orientar num TCC em arqueologia, mesmo dentro do curso de antropologia. Mesmo que isso não seja possível, qualquer curso de antropologia deve ser suficientemente bom para lhe dar uma base inicial para os estudos de arqueologia, de modo que você terá de buscar por conta própria estudar alguns conceitos teóricos e metodológicos das geociências e biociências aplicáveis na arqueologia.

      Abraços

  43. olá, os livros recomendados pelo site a maioria são em línguas estrangeiras, quais livros em português você recomendaria para quem gostaria de conhecer o básico das duas ciências juntas( antropologia e arqueologia).. desde já obrigado! este site ajuda muito!

    • Oi, Vera.

      Infelizmente não existem livros que tratem das da duas áreas juntas em português. Mas livros de Antropologia que tem muito a contribuir com a arqueologia, e que existem em português (e que eu uso bastante) são:

      1. Sociologia e Antropologia, de Marcel Mauss (é uma compilação das obras deste Antropólogo famoso do início do século passado)

      2. O Gesto e a Palavra, de André Leroi-Gourhan (obra dividida em dois volumes, este pré-historiador foi “pupilo” de Mauss, e foi um dos principais representates da escola de arqueologia francesa)

      3. Etnologia-Antropologia, de Philippe Laburthe-Tolra e Jean Pierre-Warnier

      4. Evolucionismo Cultural, de Celos Castro (trata-se de uma compilação comentada de texto clássicos originais de Henry Morgan, Edward Tylor, e James Frazer).

      5. Origens Culturais da Aquisição do Conhecimento Humano, de Michael Tomasello

      Pessoalmente, considero esses livros muito importantes para minha especialidade dentro da Arqueologia. Principalmente porque tratam de assuntos relacionados às mudanças culturais ao longo do tempo. Outros arqueólogo provavelmente poderiam recomendar outros livros.

      Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s