Arqueologia e Pré-História

Desde 2013 colaborando com a educação e informação ao grande público sobre arqueologia e pré-história em língua portuguesa. Notícias, artigos, eventos, e muito mais! (Este site NÃO possui fins lucrativos).

Dentes infantis revelam hábitos de amamentação Neandertal

Por Sid Perkins, da Nature.

neandertal tooth

Ao medir as quantidades relativas de bário e cálcio em linhas de crescimento de um dente, os cientistas demonstraram que uma criança neandertalense provavelmente ligado a uma dieta sólida relativamente cedo.

 

Os índices de mudança de cálcio e bário em dentes de humanos modernos e macacos narram a transição do leite materno para o alimento sólido – e podem fornecer pistas sobre os hábitos de desmame de neandertais, sugere um novo estudo.

O mineral predominante no esmalte do dente de primatas é a hidroxiapatita, uma forma de fosfato de cálcio. Mas oligoelementos presentes na corrente sanguínea que são quimicamente semelhante ao cálcio, como estrôncio e bário, podem ser incorporados no esmalte, uma vez que calcifica, diz Manish Arora, um químico ambiental na Icahn School of Medicine de Mount Sinai, em Nova York. Os dentes começam a se formar nas gengivas antes do nascimento, e gravam linhas de crescimento diárias em todo o seu desenvolvimento, por isso eles são bons arquivos de dieta e exposição a substâncias químicas – mesmo em crianças.

Pesquisas anteriores já haviam demonstrado que variações na proporção de estrôncio/cálcio preservados em dentes fornecem informações sobre dieta infantil, incluindo a idade em que as crianças foram desmamadas.

No novo estudo, Arora e seus colegas analisaram índices de bário/cálcio nos dentes de macacos e seres humanos com dieta conhecida e os hábitos de amamentação, incluindo os dentes de leite de crianças que fizeram parte de um estudo médico mais amplo.

Os resultados mostraram que se qualquer bário foi transferido para seres humanos ou em macacos antes do nascimento, foi pouco, diz Arora. Contudo, a proporção de bário registrada em esmalte dentário subiu imediatamente após o nascimento, pois o leite materno contém elevados níveis do elemento. As proporções diminuíram na medida em que mães começaram a complementar a dieta dos lactentes com outros alimentos, e, em seguida, caíram para níveis baixos quando a amamentação cessou, relatam os pesquisadores na revista Nature.

 

Demografia Dental

Mas os dados mais intrigantes do estudo podem ser aqueles adquiridos a partir do dente de uma criança neandertal. Os resultados sugerem que a criança foi amamentada exclusivamente por um pouco mais de 7 meses, e então o leite materno foi complementado com outros alimentos por mais 7 meses. Depois disso, os níveis de bário caem rapidamente, o que sugere um fim repentino da amamentação.

Arora diz que 14 meses é relativamente cedo para desmamar uma criança: os seres humanos em sociedades não-industriais param de amamentar em uma idade média de cerca de 2,5 anos.

Os resultados da equipe foram baseadas em uma única amostra de dente de Neandertal, o que torna difícil tirar conclusões gerais. Talvez os neandertais normalmente desmamaram seus jovens mais rapidamente do que os seres humanos modernos, sugerindo que eles podem ter tido filhos em intervalos mais curtos, diz Louise Humphrey, uma antropóloga do Museu de História Natural, em Londres. Mas ela diz que também é possível que o fim abrupto ao aleitamento materno indica que a mãe da criança pode ter adoecido ou morrido.

Ambos os cenários têm profundas implicações para a estrutura social Neandertal, diz Humphrey. Uma mãe com uma grande ninhada provavelmente teria exigido ajuda a cuidar das crianças – o que sugere que as famílias neandertais e membros do grupo rotineiramente ajudavam uns aos outros. E se o desmame ocorreu porque a mãe estava doente ou ausente, os indivíduos, como os irmãos ou outros parentes adultos podem ter intervindo para ajudar a criar o órfão, uma vez que um estudo anterior sugeriu que a criança viveu até os 8 anos de idade. “Independentemente disso, temos que aceitar que havia outros adultos que cuidavam dessa pessoa“, disse Humphrey.

Desmame afeta muitos aspectos da demografia humana, incluindo o tempo mínimo entre as gestações de uma mulher, diz Holly Smith, uma paleoantropóloga da Universidade de Michigan, em Ann Arbor. Isso, por sua vez, afeta a taxa global de crescimento da população. Análise de dentes encontrados em sítios arqueológicos, portanto, poderiam ajudar os pesquisadores a inferir informações demográficas sobre as populações antigas.

Os métodos analíticos tem potenciais “tentadores” para abordar questões mais amplas sobre a evolução humana, diz Matt Sponheimer, antropólogo da Universidade do Colorado, em Boulder. Mas isso vai exigir fósseis bem preservados, acrescenta. “Pode ser uma batalha difícil aplicar esta técnica a um material muito mais antigo do continente Africano.”

FONTE: http://www.nature.com/news/infant-tooth-reveals-neanderthal-breastfeeding-habits-1.13047

Anúncios

Um comentário em “Dentes infantis revelam hábitos de amamentação Neandertal

  1. Pingback: Arqueologia e Pré-História | Paleodieta: Como os Caçadores-Coletores se alimentam?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 22/05/2013 por em Reportagens.

Siga-nos no Facebook, e acesse mais conteúdo

Siga-nos no Twitter

%d blogueiros gostam disto: