Arqueologia e Pré-História

Desde 2013 colaborando com a educação e informação ao grande público sobre arqueologia e pré-história em língua portuguesa. Notícias, artigos, eventos, e muito mais! (Este site NÃO possui fins lucrativos).

A Descoberta de Robert Foote que Mudou a Antiguidade do Homem na Índia

The stone hand-axe discovered by Robert Bruce Foot on the Parade Ground at Pallavaram cantonment and a stone cleaver found by Foote and his colleague William King at Attirampakkam, 60 km from Chennai. Photo: R. Ravindran

 

Cento e cinqüenta anos atrás, em 30 de maio de 1863, o  jovem geólogo Robert Bruce Foote abaixou-se e pegou uma ferramenta de pedra no Parade Ground em Pallavaram acantonamento, perto de Chennai. Isso acabou por ser uma descoberta de época.

Era um machado de mãe feito de uma rocha dura chamada quartzito. O homem pré-histórico tinha trabalhado ela para desenterrar tubérculos e raízes do solo, processar animais que havia caçado e retirar a carne, e assim por diante. Como Foote, então com 29 anos de idade, assistente geólogo na Geological Survey of India (GSI), segurou o machado de mão e olhou para ele paralisado, ele reconheceu que ele seria uma ferramenta do Paleolítico. (Paleo significa antigo, lith significa pedra. Pré-história é a parte da história antes dos registros escritos começarem).

Em uma tacada, sua descoberta mudou a antiguidade da humanidade que viveu no subcontinente indiano. Isto colocou a Índia no mapa mundial da pré-história. Pesquisas recentes têm demonstrado que tais ferramentas utilizadas pela população do Paleolítico na Índia podem ser datadas a 1,5 milhões de anos antes do presente.

Quatro meses após a descoberta, em 28 de setembro de 1863, Foote e seu melhor amigo e colega no GSI, William King, fizeram outra descoberta seminal. Eles descobriram numerosas ferramentas de pedra, incluindo machados de mão, cutelos e instrumentos lascados, em Attirampakkam, perto do rio Kortallayar, no distrito de Tiruvallur, a 60 km de Chennai. O homem pré-histórico tinham usado elas para caçar animais, coletar vegetais nas redondezas e explorar de recursos aquáticos e vegetais. Foote encontrou mais algumas ferramentas de pedra mais tarde em Pallavaram e estava convencido de que a população do Paleolítico tivesse vivido na Índia.

Dois tipos de datação feitos na França, a pedido de Shanti Pappu e Akhilesh Kumar, especialistas em pré-história de Tamil Nadu, estabelececeram que as ferramentas de pedra encontradas na Attirampakkam podem ser datadas de 1,5 milhões de anos. Os métodos utilizados foram o paleomagnético e datação de enterramento por isótopo cosmogênico. Dra. Pappu e Dr. Akilesh realizaram esta datação como parte de seu projeto para estudar a rica arqueologia pré-histórica do norte do Tamil Nadu, o que implicou escavações em Attirampakkam para desvendar as atividades do homem pré-histórico no local, o seu contexto ambiental e os intrumentos da idade da pedra encontradas lá.

Foote foi um homem de múltiplos interesses. Ele era um geólogo, arqueólogo, paleontólogo, etnógrafo, museólogo (aquele que estuda a organização, gestão e função de um museu) e pintor de paisagens. Ele sabiamente investiu em ações. Ele era um perfeccionista, também.

A painting of Foote at the government Museum in Chennai. Photo: R. Ravindran

A Pintura de Foote, exposta no Museu de Chennai.

Como a Dra. Pappu diz em seu artigo pesquisado, Prehistoric Antiquities and Personal Lives: The Untold Story of Robert Bruce Foote,publicado na Man and Environment (Vol.XXXIII, No.1, 2008),” Seu nome está estampado em toda a páginas da história geológica e arqueológica da Índia, e carrega tanto peso hoje como fez há um século … Suas publicações prolíficas, compreendendo relatórios, memórias, notas curtas e catálogos de antiguidades, suas palestras e diálogos com as pessoas interessadas, geólogos e outros estudiosos, o colocam entre os intelectuais mais importantes do século XIX … Através dos anos, a literatura escrita por e para Foote nos ajuda a obter insights sobre sua personalidade – como um cientista e estudioso, e como um homem com pé na frente do passado da Índia, com um sentimento de admiração e reverência.

Foote não só descobriu ferramentas de pedra, mas também as classificou, catalogou e descreveu sistematicamente. Ele tentou entender a tecnologia que foi usada na sua produção. Ele estudou se a ferramenta foi feita de quartzito, ágata, calcedônia ou sílex, se pertencia ao Paleolítico, Neolítico ou da Idade do Ferro, a estratigrafia (um ramo da geologia que estuda camadas de rochas e camadas) e o contexto sedimentar em que ele a encontrou e a geografia do local do achado, disse a Dra. Pappu.

Em suma, ele pintou uma imagem holística de cada descoberta que ele fez. “Ele deu as localizações exatas dos locais onde encontrou as ferramentas e orientações precisas sobre como chegar ao local. Isso quando não havia Sistema de Posicionamento Global“, disse o Dr. Akilesh.

Por exemplo, esta é a forma como Foote descreve a sua primeira descoberta de machado de pedra: “O primeiro implemento descoberto foi encontrado por mim no dia 30 de maio do ano passado [1863], entre os detritos jogados fora de uma pequena pedreira algumas centenas de metros ao norte do acantonamento em Palaveram (10 milhas ao SW de Madras) e aproximadamente a mesma distância a oeste da estrada“.

Dr. Akilesh disse que o conhecimento da geologia da paisagem indiana de Foote foi incrível. Ele falou sobre a vegetação, animais e fósseis encontrados em sítios, e fez observações etnográficas sobre eles. Foote foi o primeiro a descobrir ferramentas minúsculas chamadas micrólitos nas dunas de areia vermelha do distrito de Tirunelveli. Ele examinou as famosas grutas Billa Surgam em Andhra Pradesh e estudou os mounds de cinzas de Karnataka e provou que eles eram feitos de esterco de vaca queimado, disse, Dra. Pappu.

O Museu do Governo, Egmore, Chennai, tem uma coleção eclética de isntrumentos de pedra encontrados por Foote em Pallavaram, Attirampakkam e nas regiões de Salem, Baroda e Hyderabad. De acordo com R. Kannan, principal secretário de Turismo, Cultura e Departamento de Doações Religiosas, o Governo de Madras adquiriu a coleção do Museu por 40,000 Rúpias em 1904. O Museu publicou catálogos de sua coleção de antiguidades pré-históricas e proto-históricas indianas de Foote.

Foote nasceu na Inglaterra em 1834 e morreu em dezembro de 1912 em Kolkata. Ele está enterrado no cemitério da Igreja da Santíssima Trindade em Yercaud.

 

FONTE: http://www.thehindu.com/news/national/a-discovery-that-changed-the-antiquity-of-humankind-who-lived-in-indian-subcontinent/article4753744.ece

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 27/05/2013 por em Reportagens.
%d blogueiros gostam disto: