Arqueologia e Pré-História

Desde 2013 colaborando com a educação e informação ao grande público sobre arqueologia e pré-história em língua portuguesa. Notícias, artigos, eventos, e muito mais! (Este site NÃO possui fins lucrativos).

Arqueologia do Povoamento: Humanos modernos só chegaram no sul da Ásia após erupção do Monte Toba (74 mil anos atrás)

Quando os humanos modernos se assentaram na Ásia e que rota eles tomaram partindo da sua pátria Africana? Um professor da Universidade de Huddersfield tem ajudado a dar resposta a ambas as perguntas. Mas ele também teve de resolver uma controvérsia.

Lago Toba, em Sumatra, Indonésia

O professor Martin Richards, que lidera o grupo de pesquisa em arqueologia genética da universidade, co-autoriza um novo artigo na revista Proceedings, da Academia Nacional de Ciências. Ele refuta uma teoria recente de que há evidências arqueológicas da presença de humanos modernos no sul da Ásia antes da super-erupção do vulcão Monte Toba em Sumatra. Um dos eventos mais catastróficos desde que os seres humanos evoluíram, aconteceu cerca de 74.000 anos atrás. Em 2005, o Professor Richards liderou a pesquisa publicada em um artigo na revista Science que usou provas de DNA mitocondrial para mostrar que os seres humanos anatomicamente modernos se dispersaram da África a sua pátria por meio de uma “rota costeira do sul” do Chifre da África e através da Arábia, a cerca de 60 mil anos atrás – após a erupção de Toba.
No entanto, uma equipe de arqueólogos que escava na Índia, em seguida, afirmou ter encontrado evidências de que os humanos modernos estavam lá antes da erupção – possivelmente tão cedo quanto 120 mil anos atrás, muito antes do que a Europa ou o Oriente Próximo fossem colonizados. Estes resultados, com base na descoberta de instrumentos de pedra abaixo de uma camada de cinzas de Toba, foram publicados na Science em 2007.

Agora Professor Richards – trabalhando principalmente com o arqueólogo Professor Sir Paul Mellars, da Universidade de Cambridge e da Universidade de Edimburgo, com uma equipe que inclui o Dr. Martin Carr, da Universidade de Huddersfield, e colegas de York e Porto – publicou sua refutação desta teoria . Ao fazer isso, eles foram capazes de desenhar em um corpo muito maior de evidências de DNA que estava disponível para o artigo anterior.

Uma das coisas que não tínhamos em 2005 foi muitas evidências da Índia na forma de sequências mitocondriais. Agora, com um monte de gente fazendo o sequenciamento e depositando o material em bancos de dados, existem cerca de 1.000 sequências da Índia“, disse o professor Richards.

Usando o DNA mitocondrial de populações de hoje e trabalhando no passado, e inspirando-se em uma ampla variedade de outras provas e pesquisa, a equipe foi capaz de fazer estimativas muito mais precisas para a chegada dos humanos modernos na Índia.

A evidência sugere que a dispersão da África e o assentamento na Índia não ocorreram antes de 60.000 anos atrás. “Nós também argumentamos que a similaridade entre as tecnologias dos instrumentos de pedra arqueológicos africanos e indianos após 70 mil anos atrás, bem como recursos, como contas e gravuras, sugerem que o material um pouco mais tarde indiano tinha uma fonte Africana”, afirma o Professor Richards.

Havia pessoas na Índia antes da erupção de Toba, porque existem ferramentas de pedra ali, mas eles poderiam ter sido dos neandertais – ou alguma outra população pré-moderna“, acrescenta.

A substituição dos seres humanos, presumivelmente arcaicos que viviam no sul da Ásia anteriormente por pessoas modernas, com essas novas tecnologias parece análoga à substituição dos neandertais por seres humanos modernos na Europa e na Ásia ocidental 50-40,000 anos atrás.”

 

FONTE: http://www.sciencedaily.com/releases/2013/06/130611084105.htm

 

————-

 

Artigos referentes:

  1. P. Mellars, K. C. Gori, M. Carr, P. A. Soares, M. B. Richards. Genetic and archaeological perspectives on the initial modern human colonization of southern AsiaProceedings of the National Academy of Sciences, 2013; DOI: 10.1073/pnas.1306043110
  2. Vincent Macaulay, Catherine Hill, Alessandro Achilli, Chiara Rengo, Douglas Clarke, William Meehan, James Blackburn, Ornella Semino, Rosaria Scozzari, Fulvio Cruciani, Adi Taha, Norazila Kassim Shaari, Joseph Maripa Raja, Patimah Ismail, Zafarina Zainuddin, William Goodwin, David Bulbeck, Hans-Jürgen Bandelt, Stephen Oppenheimer, Antonio Torroni, and Martin Richard. Single, Rapid Coastal Settlement of Asia Revealed by Analysis of Complete Mitochondrial GenomesScience, 2005; 308 (5724): 1034 DOI: 10.1126/science.1109792
  3. M. Petraglia, R. Korisettar, N. Boivin, C. Clarkson, P. Ditchfield, S. Jones, J. Koshy, M. M. Lahr, C. Oppenheimer, D. Pyle, R. Roberts, J.-L. Schwenninger, L. Arnold, K. White. Middle Paleolithic Assemblages from the Indian Subcontinent Before and After the Toba Super-EruptionScience, 2007; 317 (5834): 114 DOI:10.1126/science.1141564
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 12/06/2013 por em Artigos, Reportagens.
%d blogueiros gostam disto: