Arqueologia e Pré-História

Desde 2013 colaborando com a educação e informação ao grande público sobre arqueologia e pré-história em língua portuguesa. Notícias, artigos, eventos, e muito mais! (Este site NÃO possui fins lucrativos).

Psicolinguística e a origem da linguagem e da fala humana

Credit: © procy_ab / Fotolia

Novos dados parecem indicar que nossos primos mais próximos, os neandertais, eram muito mais parecidos conosco do que se imaginava até uma década atrás. Mas eles têm algo parecido à fala moderna e linguagem? E em caso afirmativo, quais são as implicações para a compreensão da diversidade linguística atual? Os pesquisadores de Psicolinguística Dan Dediu e Stephen C. Levinson argumentam em seu artigo na Frontiers in Language Sciences que a linguagem moderna e a fala pode ser rastreada até o último ancestral comum que compartilhamos com os neandertais cerca de meio milhão de anos atrás.

Os neandertais têm fascinado tanto o mundo acadêmico e o público em geral desde a sua descoberta há quase 200 anos. Inicialmente pensava-se serem brutos subumanos incapazes de qualquer coisa, exceto o mais primitivo de grunhidos. Eles eram uma forma bem sucedida de humanidade habitando vastas áreas da Eurásia ocidental por várias centenas de milhares de anos, durante os tempos difíceis e os períodos interglaciais mais leves. Nós sabíamos que eles eram nossos primos mais próximos, compartilhando um ancestral comum com a gente em torno de meio milhão de anos atrás (provavelmente o Homo heidelbergensis), mas não ficou claro quais as suas capacidades cognitivas, ou por que os seres humanos modernos conseguiram substituí-los depois de milhares de anos de coabitação. Recentemente, devido a novas descobertas antropológicas e arqueológicas e a reavaliação de dados mais antigos, mas especialmente à disponibilidade de DNA antigo, nós começamos a perceber que o seu destino era muito mais entrelaçado com a nossa e que, longe de serem brutos lentos, seu desenvolvimento das capacidades cognitivas e da cultura eram comparáveis ​​ao nosso.

Dediu e Levinson revisam todas estas vertentes da literatura e argumentam que a linguagem essencialmente moderna e a fala são uma característica antiga de nossa linhagem que remonta pelo menos ao ancestral mais recente que nós compartilhamos com os neandertais e os denisovanos (outra forma de humanidade conhecido principalmente a partir de sua genoma). Sua interpretação da evidência intrinsecamente ambígua e escassa vai contra o cenário geralmente assumido pela maioria dos cientistas de linguagem, ou seja, de um aparecimento súbito e recente da modernidade, presumivelmente devido a uma única – ou muito poucas – mutações genéticas. Isso empurra de volta as origens da linguagem moderna por um fator de 10, a partir dos freqüentemente citados 50 mil anos, para cerca de um milhão de anos atrás – em algum lugar entre as origens do nosso gênero Homo, cerca de 1,8 milhões de anos atrás, e o surgimento do Homo heidelbergensis. Esta reavaliação da prova vai contra um cenário saltacionista onde uma única mutação catastrófica em um único indivíduo de repente dá origem à linguagem, e sugere que a acumulação gradual de inovações biológicas e culturais é muito mais plausível.

Curiosamente, uma vez que sabemos que a partir do registro arqueológico e dos dados genéticos recentes de que os humanos modernos se espalhando para fora da África interagiram tanto geneticamente e culturalmente com os Neandertais e Denisovanos, em seguida, assim como nossos corpos carregam em torno de alguns de seus genes, talvez nossas línguas preservem traços de suas línguas também. Isto significa que pelo menos alguma da diversidade linguística observada é devida a estes encontros antigos, uma ideia testável comparando as propriedades estruturais dos idiomas africanos e não-africanos, e por simulações de computador de execução de propagação de idioma.

FONTE: Science Daily

—————

Acesso ao artigo de Dediu e Levinson: http://www.frontiersin.org/Language_Sciences/10.3389/fpsyg.2013.00397/abstract

Anúncios

2 comentários em “Psicolinguística e a origem da linguagem e da fala humana

  1. Cleiton Silveira
    10/07/2013

    Tem que se fazer uns clones de um Neandertais para estudo! *.*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 10/07/2013 por em Artigos, Reportagens.
%d blogueiros gostam disto: