Arqueologia e Pré-História

Desde 2013 colaborando com a educação e informação ao grande público sobre arqueologia e pré-história em língua portuguesa. Notícias, artigos, eventos, e muito mais! (Este site NÃO possui fins lucrativos).

O Contexto atual do Patrimônio Arqueológico na Bolívia

Traduzido do site El Universal

O maior sítio arqueológico da Bolivia é Tiahuanaco, próximo a La Paz e berço de uma antiga cultura pré-hispânica.

A Bolívia tem, pelo menos, 30 mil sítios arqueológicos, mas eles não conseguem demonstrar seus valores e nem serem aproveitados para fins turísticos, devido à falta de apoio financeiro do Estado, disse o arqueólogo boliviano José Luis Paz.

Paz é um dos organizadores de um encontro internacional envolvendo arqueologia, de 15 a 19/07, cientistas dos Estados Unidos, Grécia, Itália e Japão para realçar o progresso de suas pesquisas na Bolívia. O arqueólogo responsável do Laboratório de Lítico da Universidad Mayor de San Andrés (UMSA), organizador do evento, disse que a Bolívia é tão rico arqueologicamente quanto o vizinho Peru, mas não consegue mostrar seu valor, devido à falta de recursos financeiros do Estado .

De acordo com Paz, na Bolívia, são 3.000 sítios arqueológicos identificados, mas o país pode ter, pelo menos, 30.000 sítios, uma figura que algumas estimativas colocam até meio milhão.

O problema são as políticas de Estado. O governo peruano investe mais de US$ 20 milhões, os museus que constroem valem milhões de dólares e conseguem 90 mil turistas, mas é o investimento do Estado“, disse o arqueólogo, sem especificar os períodos correspondentes às cifras. Na Bolívia, no entanto, “não há uma política de Estado que protege os sítios, que forneça incentivos ao trabalho a médio e longo prazo” e “sem financiamento“, apesar de ter “uma riqueza igual à do Peru“, lamentou.

O maior sítio arqueológico é Tiahuanaco na Bolívia, perto de La Paz e berço de uma antiga cultura pré-hispânica. No entanto, este sítio também não conta com investimentos para sua preservação e promoção.

Além disso, a crise econômica mundial também reduziu os fundos destinados a projetos de cooperação internacional no país andino.
Neste momento, eles recebem o apoio de US$ 20.000 e 80.000, no melhor dos casos, mas são somas insuficientes para a magnitude do trabalho que aspiram a fazer, disse Paz. O abandono encontrado em sítios arqueológicos devido à falta de fundos de pesquisa é tal que não há sequer um registro de dados válido, nem planos para os 3mil sítios identificados.

No fórum de arqueologia, que começou ontem em La Paz, envolveu, entre outros, os pesquisadores Andrew Roddick, Christine Hastorf e Claudine Vallieres, de universidades dos EUA; Patrizia di Cosimo, da Itália; Delaveris Irene, da Grécia; e Naoki Nakajima, do Japão.

FONTE: http://www.eluniversal.com.mx/cultura/2013/bolivia-sitios-arqueologicos-936255.html

Para saber mais, uma notícia sobre uma pesquisa de Arqueologia Preventiva realizada em Sucre (Bolívia), em parceria com o Instituto Colombiano de Antropologia e História (ICANH): http://www.tusemanario.com/noticia/revelan-hallazgo-arqueologico-en-sucre_8822

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 16/07/2013 por em Reportagens.
%d blogueiros gostam disto: