Arqueologia e Pré-História

Desde 2013 colaborando com a educação e informação ao grande público sobre arqueologia e pré-história em língua portuguesa. Notícias, artigos, eventos, e muito mais! (Este site NÃO possui fins lucrativos).

Tecnologia lítica microlaminar pode estar relacionada à produção de roupas no final do Pleistoceno na China

Embora presente antes do Último Máximo Glacial (UMG, cerca de 24,500-18,300 anos atrás), a tecnologia de lamínulas é incomum nas jazidas líticas do centro-norte da China até o início da “Younger Dryas” (YD, cerca de 12,900-11,600 anos atrás). Dr. GAO Xing, do Instituto de Paleontologia de Vertebrados e Paleoantropologia (IVPP), da Academia Chinesa de Ciências, e sua equipe discutiram as origens, a antiguidade, e função da tecnologia microlaminar, revendo a arqueologia de três sítios com componentes microlíticos YD – Pigeon Montanha (QG3 ) e Shuidonggou Locality 12 (SDG12), na Região Autônoma de Ningxia; e Dadiwan, na Província de Gansu – sugerindo que a ascensão da tecnologia microlaminar durante o Younger Dryas no centro-norte da China está relacionada a adaptações móveis organizadas em torno da caça, ao contrário da hipótese anterior de que eles serviam principalmente como armas de caça. Os pesquisadores publicaram a pesquisa no Journal of Anthropological Archaeology 32 (2).

O final do Pleistoceno contou com duas crises climáticas frias e secas severas, o Último Máximo Glacial e o Younger Dryas, que afetaram profundamente a adaptação humana no norte da China. Durante o UMG evidências arqueológicas para a ocupação humana do norte da China são escassas e a mais antiga indústria lítica do Norte da China  baseada em lâminas, a tecnologia de núcleo e lascas  de faces planas do Paleolítico Superior mais conhecida no sítio Shuidonggou Locality 1 (SDG1) no alto Rio Amarelo, foi substituída por uma tecnologia de percussão bipolar mais adequada para a matéria-prima de baixa qualidade, mas mais facilmente disponíveis.

Fig.1. Núcleos laminares e preformas (A), e lamínulas, ou microlâminas (B) proveninetes de Shuidonggou 12. (Imagem de YI Mingjie)

Pesquisadores apresentaram evidências de que o aumento inicial no uso de lamínulas no norte da China ocorre após 13 mil anos atrás, durante a YD, a partir de três pontos-chave no centro-oeste do norte da China: Dadiwan, Pigeon Mountain e Shuidonggou Localidade 12 (SDG12). Nesta região, os instrumentos microlaminares são compostos de facas, ao invés de pontas. Estes dados sugerem que a ascensão da tecnologia laminar durante o Younger Dryas no centro-norte da China foi principalmente o resultado de lamínulas usadas como facas necessárias para a produção de sofisticadas roupas de frio, necessárias para uma adaptação caça móvel de inverno. Tempo limitado e as oportunidades comprimiram essa produção em uma janela sazonal muito estreita, colocando um prêmio em rotinas altamente simplificadas para que a tecnologia microlaminar fosse especialmente bem adaptada.

Ficou claro há algum tempo que, enquanto micro-lâminas podem ter existido no centro-norte da China pelo menos desde o LGM, tornam-se proeminente (ou seja, a tecnologia lítica se torna “microlítica”) só muito mais tarde, com a YD. Esta seqüência sugere uma ligação mais forte entre micro-lâminas e mobilidade do que entre micro-lâminas e caça. Se as lamínulas eram apenas (ou principalmente) armas afiadas, sua ascensão à dominância do YG sugeriria um aumento igualmente dramático na caça, tornando-se difícil entender por que uma tecnologia microlaminar, muito mais exigente, iria desenvolver para facilitar a muito menos importante caça pré-YD . Em qualquer caso, o conjunto SDG12 está em desacordo com a idéia de uma mudança de caça. Não mais ou menos abundante do que em conjuntos pré-YD (por exemplo, QG3), os instrumentos formais de processamento de plantas sugerem uma importância dietética no YD continuada de plantas, e não há nenhuma evidência para a caça de um tipo que exige a produção de lamínulas sobre qualquer coisa como a escala em que ocorrem. A mudança para uma especialidade serial fornece uma explicação melhor.

Fig.2. Agulhas de ossos provenientes de Shuidonggou 12. (Imagem de YI Mingjie)

Especialistas de série são frequentemente obrigados a produzir quantidades significativas de artesanato em períodos relativamente curtos de tempo. Tecnologia microlaminar é admiravelmente adequada para tal aerodinâmica de produção em massa, e isso é exatamente o que o registro SDG12 indica. A intensidade com que SDG12 foi usada e a ênfase na aquisição comum sugere uma ocupação de muito curto prazo por parte de grupos que, provavelmente, operaram de forma independente durante o resto do ano, quase certamente durante o inverno. SDG12 provavelmente foi ocupada imediatamente antes disso, em conexão com uma “preparação sazonal” para o inverno, talvez equivalente aos “campos de costura” etnograficamente registrados do Cobre Inuit e Netsilik Inuit.

Nosso estudo indica que caçadores-coletores do centro-norte da China durante o YD eram especialistas de série, mais de inverno móvel do que seus antecessores do UMG, porque caçadores-coletores do UMG não tinham o equipamento necessário para a mobilidade residencial no inverno. Roupas de inverno particularmente, e lamínulas ou tecnologia microlítica foi fundamental para a produção deste equipamento. Junto com a melhora climática geral associada ao Holoceno, aumentando o sedentarismo depois de 8.000 anos atrás, diminuiu a importância das viagens de inverno e a tecnologia microlítica necessária para o equipamento de fabricação de roupas“, disse o primeiro autor YI Mingjie do IVPP.

Nós não argumentamos que lamínulas não eram usadas ​​como instrumentos encabados (claramente eles eram), ou que a tecnologia microlaminar não se desenvolveu originalmente para este fim (bem que poderia ser). Nós simplesmente argumentamos que a ascensão da tecnologia microlaminar no centro-norte da China durante o YD é o resultado de sua importância em artesanato essencial para um modo de vida altamente móvel com especialidade serial à produção de vestuário em particular. Enquanto lamínulas foram multifuncionais, uma coisa é certa: dos poucos instrumentos microlaminares conhecidos do centro-norte da China todos são facas, nenhuma é ponta. Se as lamínulas eram principalmente armas, deveria ser o contrário“, disse o correspondente autor Dr. Robert L. Bettinger, University of California – Davis.

Este trabalho foi apoiado principalmente pelo Strategic Priority Research Program da Chinese Academy of Sciences, a National Basic Research Program of China, e a National Science Foundation of China.

FONTE: Chinese Archaeology

Acesso ao artigo:

http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0278416513000147

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 12/09/2013 por em Artigos, Reportagens.
%d blogueiros gostam disto: