Arqueologia e Pré-História

Desde 2013 colaborando com a educação e informação ao grande público sobre arqueologia e pré-história em língua portuguesa. Notícias, artigos, eventos, e muito mais! (Este site NÃO possui fins lucrativos).

Naia, o esqueleto de 12 mil anos atrás encontrado no México

Foi publicado ontem, 15 de mai de 2014, um artigo na Science que trata de uma análise genética, coordenada pelo antropólogo forense James Chatters, do esqueleto encontrado numa caverna submersa na península de Yucatán, México. Trata-se de um esqueleto de uma garota de 15 anos apelidada de “Naia”.

The skull and bones are clearly visible on the floor of the underwater cave

Crânio de Naia no local em que foi encontrado. Imagem da National Geographic

De acordo com os autores da pesquisa, Naia possui um crânio de morfometria similar à brasileira Luzia.

Luzia é o esqueleto de mesma idade encontrada na região de Lagoa Santa durante escavações da década de 1970, coordenada pela arqueóloga Annette Laming-Emperaire. Posteriormente, o bioantropólogo brasileiro Walter Neves analisou o crânio de Luzia (entre outros crânios da América e do Velho Mundo) e concluiu que Luzia apresentava um crânio similar aos crânios de melanésios (aborígenes) e africanos mais antigos. Esta teoria se aplicaria para todos os habitantes do Holoceno inicial na América.

No entanto, de acordo com os autores da nova pesquisa, Naia possui DNA mitocondrial similar aos nativos americanos (atuais grupos indígenas da América). De modo geral, esta nova descoberta refutaria a teoria de que houve ondas migratórias de mais de um mesmo grupo biológico da Ásia para a América, sendo que apenas um mesmo grupo biológico teria povoado o continente vindos pela Beríngia (região entre o estado do Alaska, nos EUA, e a Sibéria, na Rússia).

New genetic evidence supports the hypothesis that the first people in the Americas all came from northeast Asia by crossing a land bridge known as Beringia.  When sea levels rose after the last ice age the land bridge disappeared.

Localização da Beríngia, indicando a entrada dos humanos na América no final do Pleistoceno. Imagem: DailyMail

Em entrevista à Folha de São Paulo, o professor Dr. Walter Neves, coordenador do Laboratório de Estudos Evolutivos Humanos (LEEH) do Instituto de Biociências (IB) da Universidade de São Paulo (USP), disse:

“Primeiro, o nosso modelo [de duas migrações] também é via Beríngia! A ideia é que um primeiro grupo oriundo da Sibéria teria a morfologia paleoamericana, recebendo mais tarde o aporte genético de um novo grupo “mongólico”. É difícil acreditar nas informações da biologia molecular, a cada trabalho eles dizem uma coisa. Não faz muito tempo, outro genoma paleoamericano supostamente indicava uma herança dual. Não vejo por que o mtDNA e a forma craniana teriam de concordar, porque são duas heranças genéticas totalmente distintas. Seria muito importante obter o genoma completo desse esqueleto e de outros”.

Fonte: Folha de São Paulo

A descoberta do esqueleto se deu no ano de 2011, quando o mergulhador profissional Alberto Nava e mais dois colegas exploravam uma caverna submersa, a qual eles apelidaram de “Hoyo Negro”.

Divers Alberto Nava and Susan Bird transport the Hoyo Negro skull to an underwater turntable so that it can be photographed in order to create a 3-D model.

Alberto Nava e Susan Bird transportando o crânio de Naia em Hoyo Negro. Imagem National Geographic

Nesta caverna encontraram, além do esqueleto de Naia, vestígios ósseos de animais da megafauna, como Tigres Dentes-de-Sabre e Mastodontes. Veja o vídeo abaixo, que mostra o local da descoberta e a coleta do crânio de Naia:

Clicando neste link você pode conferir a reconstrução em 3D feita do crânio de Naia: http://bcove.me/95fjtj87

Para saber mais, clique nos links a seguir:

Artigo publicado na revista Science

Matéria do site DailyMail

Matéria da Scientific American

Matéria da Folha de São Paulo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 16/05/2014 por em Artigos, Reportagens.
%d blogueiros gostam disto: