Arqueologia e Pré-História

Desde 2013 colaborando com a educação e informação ao grande público sobre arqueologia e pré-história em língua portuguesa. Notícias, artigos, eventos, e muito mais! (Este site NÃO possui fins lucrativos).

Mulheres Vikings também viajavam, revela estudo genético

Texto de Daniel Zadik

A imagem tradicional de Vikings é daqueles barcos cheios de homens peludos pilhando por todo seu caminho ao longo das costas da Europa. Embora verdade até certo ponto, esse estereótipo tem sido mais recentemente temperado com a valorização dos Vikings como exploradores e colonizadores, fundando colônias do Mar Negro até o Canadá.

Deixadas de fora desta imagem estão suas mulheres, mas com os resultados das técnicas de sequenciamento de DNA de última geração, os geneticistas da Noruega e Suécia têm proporcionado uma imagem do mundo Viking o qual revela que as mulheres viajaram para se estabelecer em lugares distantes – e isto parece ser verídico tanto para mulheres nórdicas nascidas e criadas, assim como aquelas de terras visitadas.

woman1

Transmissão da linha materna

O estudo, publicado pela Royal Society, sequenciou o DNA de 45 esqueletos noruegueses da era Viking. Este DNA era o mitocondrial ou mtDNA, que, ao contrário da maioria DNA, é transmitida de mãe para filho, sem a entrada do pai. As crianças têm mtDNA muito similar aos de suas mães, às mães de suas mães, e assim por diante. Se você voltar longe o suficiente, cada pessoa que já viveu cai em algum lugar de uma única, ramificada, árvore-genealógica maternal.

Dentro da árvore, mutações levam a alterações na sequência de mtDNA de um indivíduo, que são então herdadas por todas as descendentes fêmeas da linhagem. Isto significa que, comparando as diferenças entre muitos indivíduos a partir de localizações geográficas conhecidas, podemos construir uma imagem dos movimentos das mulheres do passado. O mtDNA dos 45 esqueletos foi comparado a muitos outros que foram previamente sequenciados na Europa em torno do noroeste. Usando uma variedade de testes estatísticos, várias coisas se tornaram aparentes.

Muitas das sequências de DNA mitocondrial foram divididos entre os da Noruega e os das terras que os vikings colonizaram. Isto dá suporte a fontes arqueológicas e históricas que sugerem que os nórdicos muitas vezes casavam em suas terras e foram acompanhados em suas viagens por suas esposas. No entanto, a imagem não é uniforme em todos os lugares.

Relativamente próximo à Escandinávia, em Orkney e Shetland, populações modernas mostram níveis semelhantes de ascendência provenientes de nórdicos folclóricos de cada sexo. Mais longe, na Islândia, as pessoas devem mais de sua ancestralidade para homens nórdicos do que para mulheres nórdicas. Isso coloca a questão, quem eram as esposas Vikings restantes? Parece pouco provável que elas eram islandesas pré-existentes, já que a Islândia era praticamente desabitada antes da chegada dos Vikings. Embora haja alguma evidência para a habitação, que era em pequena escala, e talvez até depois extinta. As sagas Vikings mencionam a presença de monges, mas mesmo se fossem reais, eles seriam do sexo masculino e também – provavelmente – celibatários.

Onde estão as mulheres Vikings?

Um teste mostrou que, se a contribuição genética dos noruegueses é subtraída de dados de mtDNA islandês, o que resta é o mais semelhante a Orkney e às ilhas ocidentais da Escócia. Assim, parece provável que as mulheres Gaelicas destas ilhas chegaram na Islândia com os Vikings, ou então tinham sido integradas nestas comunidades Viking s coloniais nas gerações anteriores e transmitiram seu mtDNA para aqueles que fizeram a viagem para a Islândia.

De qualquer forma, isso mostra que muito mais mulheres do que homens de terras invadidas foram assimiladas às colônias vikings. Talvez isso não devesse nos surpreender – ao redor do mundo, é muito mais comum mulheres, e não os homens, se juntarem à família ou tribo de seu cônjuge, quando casados. Os vikings também escravizavam prisioneiros de povos derrotados, e onde quer que homens possuíssem escravos, eles criavam as crianças por eles. Mais uma vez não é de estranhar que as escravas deixariam mais de um legado genético do que seus colegas do sexo masculino.

O estudo também sugere que esta dinâmica pode ter sido a norma de volta na Noruega também. Duas das 45 amostras (ambas de esqueletos femininos enterrados ao estilo nórdico) parecem ter mtDNA que não é típica de Vikings. Uma delas tinha uma sequência previamente observada entre as pessoas mais setentrionais da Escandinávia, os Sami (ou lapões) – provavelmente uma mulher que se casou com um Saami Viking, ou uma descendente de Saami Viking.

O outro esqueleto tinha mtDNA de um ramo da árvore genealógica comum em toda a Ásia. Há muitas possibilidades, mas, novamente, é provável que esta mulher (ou a sua antepassada da linha materna) foi trazida por Vikings após uma viagem para a Rússia ou o Império Bizantino.

Novas ferramentas, novos conhecimentos

Com ferramentes cada vez melhores para os geneticistas, podemos agora olhar mais para as sutilezas genéticos do passado. Este estudo utilizou esqueletos escavados em dias antes do sequenciamento de DNA ser uma opção. Até recentemente, tais espécimes eram “insequenciáveis” devido à contaminação do DNA das pessoas modernas que lidaram com eles. Técnicas atuais permitem diferenciar o moderno a partir de sequências de DNA antigo, o que abre a perspectiva de retomar os muitos espécimes de coleções de museus em todo o mundo para descobrir que outras respostas eles podem manter sobre as aventuras Vikings.

Artigo publicado no The Royal Society: Mitochondrial DNA variation in the Viking age population of Norway

Fonte: Heritage Daily

Para saber mais:

Arqueologia e Pré-História: Vikings na América do Norte há 1.000 anos atrás.

Arqueologia e Pré-História: O Pequeno Martelo de Thor com Inscrições Rúnicas

Anúncios

Um comentário em “Mulheres Vikings também viajavam, revela estudo genético

  1. Pingback: 8 mitos e fatos sobre os Vikings que podem te surpreender | Arqueologia e Pré-História

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 22/12/2014 por em Reportagens.

Siga-nos no Facebook, e acesse mais conteúdo

Siga-nos no Twitter

%d blogueiros gostam disto: