Arqueologia e Pré-História

Desde 2013 colaborando com a educação e informação ao grande público sobre arqueologia e pré-história em língua portuguesa. Notícias, artigos, eventos, e muito mais! (Este site NÃO possui fins lucrativos).

Arqueólogos estudam artefatos líticos de sítio arqueológico destruído no interior paulista

João Carlos Moreno de Sousa (Museu Nacional, UFRJ) e Adriana Meinking Guimarães (VerdeVolta Assessoria e Recuperação Ambiental Ltda.) publicaram recentemente um artigo sobre um estudo dos artefatos encontrados no sítio arqueológico Santa Cruz, localizado no município de Monte Mor, estado de São Paulo. O estudo foi publicado na revista científica brasileira Cadernos do LEPAArq.

Figura 1.jpg

Localização do sítio Santa Cruz.

O sítio já havia sido encontrado anteriormente durante outros trabalhos há mais de 10 anos e, naquela época, os pesquisadores associaram os artefatos encontrados a uma cultura arqueológica conhecida como Tradição Umbu, já que haviam sido encontradas pontas  de flechas ou lanças produzidas por lascamento nas duas faces dos objetos (pontas líticas bifaciais) no local. Já este novo estudo fez parte de um trabalho de licenciamento ambiental para construção de um condomínio. O sítio foi localizado sem necessidade de intervenções no solo, uma vez que o terreno já havia sido, infelizmente, modificado por alguma ação humana no passado, destruindo o contexto original do sítio arqueológico em questão. Todos os artefatos foram encontrados na superfície do solo, e infelizmente não foi possível obter amostras para datação do sítio. Ainda assim, foi possível realizar uma análise tecnológica do material lítico encontrado.

Figura 3.jpg

A: Localização dos vestígios na superfície do sítio. B: Lasca. C: Lâmina de machado polido. D: Ponta bifacial.

Dentre os artefatos encontrados e estudados estavam uma ponta, uma lâmina de machado, alguns raspadores, núcleos e lascas de sílex. De acordo com os autores, a amostra de vestígios líticos é muito pequena para que os resultados sobre a análise forneçam uma ideia geral da indústria lítica presente no local. Por um lado, as lâminas de machado estão geralmente associados a grupos humanos que viveram no Brasil durante o Holoceno Final (ou seja, a partir de mais ou menos 4 mil anos atrás até o período da colonização portuguesa) apesar de sabermos que lâminas de machado já existiam no Brasil há 10 mil anos atrás. Por outro lado, a ponta bifacial  estudada é extremamente similar àquelas encontradas em sítios arqueológicos na mesma região do estado, como no famoso sítio arqueológico Alice Boer, localizado na divisa de Ipeúna e Rio Claro, e datado entre 7 mil e 6 mil anos atrás. O material lítico do sítio Alice Boer também vem sendo estudado pelo primeiro autor do artigo, e em breve novas publicações poderão comprovar a similaridade tecnológica na produção destes artefatos.

Figura 25.jpg

Desenho técnico da ponta lítica bifacial, demonstrando as diferentes partes produzidas da peça.

O artigo completo pode ser acessado e baixado clicando no link a seguir:

Moreno de Sousa, J. C. & Guimarães, A. M. 2016. Tecnologia Lítica do Interior Paulista: A Indústria do Sítio Arqueológico Santa Cruz. Cadernos do LEPAArq. 13 (26): 138-171.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 22/11/2016 por em Artigos, Reportagens.
%d blogueiros gostam disto: