Arqueologia e Pré-História

Desde 2013 colaborando com a educação e informação ao grande público sobre arqueologia e pré-história em língua portuguesa. Notícias, artigos, eventos, e muito mais! (Este site NÃO possui fins lucrativos).

Arqueologia Genética: Nativos Norte-Americanos e Norte-Europeus Mais Relacionados do que se Imaginava

Usando análises genéticas, cientistas descobriram que as populações do Norte da Europa – incluindo britânicos, escandinavos, franceses e alguns europeus orientais – descendem de uma mistura de duas populações ancestrais muito diferentes, e uma dessas populações está relacionada com os nativos americanos. Esta descoberta ajuda a preencher lacunas na compreensão científica da ascendência nativa americana e Norte-Européia, ao fornecer uma explicação para algumas semelhanças genéticas entre os quais, de outra forma, parecem ser grupos muito divergentes.

Esta pesquisa foi publicada na edição de novembro de 2012 da revista Genetics, da Genetics Society of América. O artgio pode ser acessado clicando aqui: http://www.genetics.org/content/192/3/1065

De acordo com Nick Patterson, primeiro autor do artigo, “não há uma ligação genética entre a população paleolítica da Europa e os nativos americanos modernos. A prova é que a população que atravessou o Estreito de Bering da Sibéria para as Américas, mais de 15.000 anos atrás, era provavelmente relacionada à população antiga da Europa. ”

Para fazer esta descoberta, Patterson trabalhou com o  professor de Genética David Reich, da Harvard Medical School, e outros colegas para estudar a diversidade de DNA e descobriu que uma dessas populações ancestrais foi a primeira população agrícola da Europa, cujo DNA vive hoje de forma relativamente sem mistura, na população de Sardenha (Itália) e do País Basco (Espanha/França), e em pelo menos a população drusa no Oriente Médio. A outra população ancestral é provável que tenha sido a população inicial de caçadores-coletores da Europa. Estas duas populações eram muito diferentes quando se conheceram. Hoje, a população ancestral caçadora-coletora da Europa parece ter maior afinidade com as pessoas do nordeste da Sibéria e nativos americanos.

As ferramentas estatísticas para análise de mistura de população foram desenvolvidas por Patterson e apresentadas de forma sistemática no artigo. Estas ferramentas são as mesmos utilizadas em descobertas anteriores que mostram que as populações indígenas são misturas de duas populações ancestrais altamente divergentes e que mostraram que os neandertais contribuíram de 1% a 4% na ascendência da atual dos europeus. Além disso, a revista lança um novo e importante conjunto de dados que caracteriza a diversidade genética em 934 amostras de 53 diferentes populações no mundo inteiro.

O genoma humano possui inúmeros segredos. Ele não apenas desbloquea pistas importantes para curar doenças humanas, mas também revela pistas para o nosso passado pré-histórico“, disse Mark Johnston, Editor-Chefe da revista Genetics. “Esta relação entre os seres humanos separados pelo Oceano Atlântico revela características surpreendentes dos padrões de migração dos nossos antepassados, e reforça a verdade de que todos os seres humanos estão intimamente relacionados.

FONTE: http://www.sciencedaily.com/releases/2012/11/121130151606.htm

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 21/05/2013 por em Reportagens.
%d blogueiros gostam disto: