Arqueologia e Pré-História

Desde 2013 colaborando com a educação e informação ao grande público sobre arqueologia e pré-história em língua portuguesa. Notícias, artigos, eventos, e muito mais! (Este site NÃO possui fins lucrativos).

Vikings na América do Norte há 1.000 anos atrás: Descoberta de mais uma viagem

Texto de Owen Jarus

Newfoundland Iceberg

è sabdio que icebergs passam pela Baía de Notre Dame, assim como em outras parte de Newfoundland. Crédito: Weldon Schloneger | Shutterstock.

Novas evidências sugerem que cerca de 1.000 anos atrás, os vikings partiram em uma viagem para Notre Dame Bay, na atual Newfoundland, Canadá.

A viagem teria levado os Vikings, também chamados de nórdicos, a partir de L’Anse aux Meadows, na ponta norte da mesma ilha para uma parte densamente povoada de Terra Nova e pode ter levado ao primeiro contato entre europeus e os povos indígenas do Novo Mundo.

Esta área de Notre Dame Bay era uma boa candidata como qualquer outra para o primeiro contato entre o Velho Mundo e o Novo Mundo, e esse é o tipo de coisa emocionante“, disse Kevin Smith, vice-diretor e curador-chefe do Museu Haffenreffer de Antropologia na Universidade Brown.

Evidências da viagem foram descobertas por uma combinação de escavação arqueológica e análise química de dois artefatos de jaspe que os nórdicos usavam ​​para acender fogueiras. A análise, apresentada na reunião anual da Society for American Archaeology em Honolulu, sugere que o jaspe usado nos artefatos veio da área de Notre Dame Bay.

Os artefatos de jaspe foram encontrados em L’Anse aux Meadows e os exploradores nórdicos provavelmente partiram desse posto. Eles teriam dirigido para o sul, viajando cerca de 230 quilômetros até Notre Dame Bay. Quando eles chegaram ao seu destino, os nórdicos teriam posto os pés em uma área de Newfoundland que os pesquisadores modernos sabem que foi bem habitada.

Esta área de Notre Dame Bay [é] arqueologicamente a área mais densa de liquidação em Newfoundland, na época, dos povos indígenas, os ancestrais dos Beothuk,” um povo que, naquela época, vivia como caçadores-coletores, disse Smith à LiveScience.

Notre Dame Bay coastline

Costa da Baía de Notre Dame. Na época em que a jornada nóridca tomou conta do lugar esta área era povoada pelos ancestrais do povo Beothuk. A terra é densamente florestada, um forte contraste com as terras mais estéreis do Atlântico norte onde os nórdicos chegaram antes. O local era rico em peixes, aves e mamíferos marinhos, e a temperatura era maior. Imagem: Kevin Smith

Além do provável encontro com os Beothuk ancestrais, os nórdicos provavelmente teriam ficado impressionados com a própria paisagem. O litoral teve fiordes, baías e ilhas, com muitas florestas. Aves, mamíferos marinhos e peixes também teria sido abundantes.

Para quem vem das ilhas quase sem árvores do Atlântico Norte, esta teria sido uma zona potencialmente muito interessante“, disse Smith. “Há um monte de árvores, há uma série de oportunidades para cortar as coisas, é um pouco mais quente, é uma mistura interessante de recursos“, disse Smith.

Para qualquer viagante nórdico que  tivesse estado na Noruega, isto teria sido familiar. Isso ainda teria feito uma imitação, porém, uma vez que as terras que os nórdicos haviam ocupado em sua viagem através do Atlântico Norte tendem a ser mais estéreis.

Os pesquisadores não sabem os detalhes sobre o contato entre os nórdicos e os Beothuk ancestrais nesta viagem, presumindo que o contato realmente aconteceu. Poderia ter sido um encontro pacífico, embora as sagas nórdicas também falem de encontros hostis com as pessoas no Novo Mundo. Além disso, apesar do possível contato, provavelmente teria sido um dos primeiros encontros do Mundo Novo com o Mundo Antigo, mas os pesquisadores não sabem se ele foi o primeiro.

 Fósforos Nórdicos

Os dois artefatos jaspe eram peças-chave da prova que ajudaram os investigadores desvendar a existência da viagem.

A jasper fire starter

Este acendedor de fogo de jaspe foi encontrada em 2008 há apenas 10 metros de distância de um salão nórdico em L’Anse aux Meadows, o único assentamento nórdico no Novo Mundo. Crédito da imagem: Kevin Smith.

O maior, e mais recentemente escavado dos dois, foi encontrado em 2008, apenas 33 pés (10 metros) de distância de um antigo salão nórdico. A descoberta foi feita por Priscilla Renouf, professora da Universidade Memorial de Newfoundland, e Todd Kristensen, que agora é um estudante de graduação na Universidade de Alberta.

Você pode pensar neles quase como os fósforos dos Vikings“, disse Smith. Os nórdicos teriam atingido contra o acendedor de fogo de aço para fazer faíscas para iniciar um incêndio, explicou. Conforme o tempo passou, e depois de ser atingido no aço repetidamente, o acendedor de jaspe desgastou e foi descartado.

A composição química do Jaspe varia dependendo de onde foi obtido. Para descobrir de onde o maior acendedor de jaspe veio, Smith, Thomas Urban da Universidade de Oxford, e Susan Herringer do Instituto Joukowsky da Brown University’s Joukowsky Institute for Archaeology and the Ancient World procuraram pelos afloramentos do Novo Mundo (ou Velho) quimicamente combinando. Eles compararam acendedor de fogo com amostras geológicas utilizando um dispositivo de fluorescência de raios-X portátil que pode detectar a assinatura química de jaspe.

An ancient workshop

Remanscentes de uma oficina num posto nórdico em L’Anse aux Meadows, norte de Newfoundland. Crédito: Foto de Torbenbrinker, CC Attribution-Share Alike 3.0 Unported, courtesia Wikimedia.

Os resultados sugerem que o jaspe originado a partir da área de Notre Dame Bay, em algum lugar ao longo de 44 quilômetros de extensão (71 km) trecho da costa. A maior aproximação química foi uma amostra geológica do moderno Porto Fortune.

L'Anse aux Meadows

Editado por Owen Jarus, mapa da Wikimedia, cortesia de NordNordWest, CC Attribution Share-Alike 3.0 Unported.

 O segundo, o menor pedaço de jaspe foi descoberto na década de 1960 em escavações realizadas por Helge e Anne Stine Ingstad, que descobriram L’Anse aux Meadows. Diferentes testes executados neste pedaço sugeriram, em 1999, que também veio da área de Notre Dame Bay. Na época Smith não podia provar que foi usado como um acendedor de fogo, mas agora acredita que é provável.

Explorando o Novo Mundo

Desde a descoberta de L’Anse aux Meadows há quase 50 anos, os arqueólogos e historiadores têm tentado descobrir a história da exploração Nórdica no Novo Mundo.

Norse voyage map

Viagens nórdicas pelo mundo. Crédito: Wikimedia.

Pesquisas anteriores já haviam revelado a presença de sementes de noz manteiga em L’Anse aux Meadows, indicando que os nórdicos fizeram uma viagem para o Golfo de St. Lawrence ou possivelmente até mesmo um pouco além. Além disso, os artefatos nórdicos (e possivelmente uma estrutura) foram descobertas no Ártico canadense, indicando uma relação comercial com os povos indígenas que ali poderia ter durado por séculos.

No entanto, a exploração do posto avançado nórdico em L’Anse aux Meadows estava em operação há mais de 10 a 25 anos, de acordo com as evidências arqueológicas. Na verdade, de acordo com histórias medievais nórdicas, o posto pode ter sido usado por apenas dois a três anos, e talvez apenas sazonalmente, antes de ser abandonada.

A nova pesquisa, disse Smith, demonstrou que ainda há muito a aprender sobre a exploração nórdica no Novo Mundo.

“É provocativo”, disse ele. “É interessante pensar sobre onde isso vai.”

FONTE: Live Science

Anúncios

3 comentários em “Vikings na América do Norte há 1.000 anos atrás: Descoberta de mais uma viagem

  1. Pingback: Mulheres Vikings também viajavam, revela estudo genético | Arqueologia e Pré-História

  2. Pingback: 8 mitos e fatos sobre os Vikings que podem te surpreender | Arqueologia e Pré-História

  3. Pingback: Arqueologia questionável: Fraudes, equívocos e evidências confiáveis (mas polêmicas) | Arqueologia e Pré-História

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 05/06/2013 por em Reportagens.
%d blogueiros gostam disto: