Por que a arqueologia é considerada uma ciência histórica e interdisciplinar?

Por JuCa

Para quem acompanha o nosso site e já deu uma olhada na nossa página de subáreas da arqueologia não é novidade que a arqueologia é uma ciência interdisciplinar – ou seja, que importa métodos e técnicas de estudo de várias outras ciências. Mas para alguns a arqueologia ainda não é vista como uma ciência, pois ela não testaria hipóteses ou não pode prever coisas pelas leis naturais (como na física). E é exatamente isso que o arqueólogo Dr. Astolfo Araujo, docente do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo, e coordenador do Laboratório Interdisciplinar de Pesquisas em Evolução, Cultura e Meio Ambiente, explica em seu mais recente artigo publicado no periódico científico Estudos Avançados. Para ele, a visão de que arqueologia não é uma ciência está basicamente na falta de informação e, principalmente, porque a filosofia da ciência era dominada por físicos até pelo meno a década de 1970 – consideravam a física o modelo de ciência para avaliação de outra áreas de estudo.

Araujo explica que a ciência é um sistema de conhecimento que visa fornecer explanações a respeito de fenômenos por meio de um encadeamento retroalimentador de ideias, protocolos e atividades. E que existem duas grandes categorias de ciências: as ciências históricas (onde se enquadram a biologia, a geologia, arqueologia, paleontologia, etc.) e as ciências ahistóricas, também chamadas de experimentais (onde se enquadram a física e a química).

No artigo, Araujo ainda explica os métodos científicos utilizados pelas ciências históricas, traça um histórico da arqueologia e sua origem como uma ciência, e explica a diferença entre ciência e história. O autor ainda argumenta que a arqueologia é tão interdisciplinar que não pode ser encarada da mesma maneira que outros estudos da área das Humanidades, uma vez que suas componentes ontológicas, epistemológicas, teóricas e práticas estão mais associadas às Ciências da Terra e à Biologia do que à História ou à Antropologia. E também deixa claro que as visões que impõem a arqueologia como parte de uma outra área são de pura questão política acadêmica ou pendor pessoal. Essa é uma crítica que vários outros arqueólogos também o fazem, uma vez que em algumas universidades ao redor do mundo (incluindo o Brasil) os programas de ensino em arqueologia ainda são ligados a departamentos de outras áreas, principalmente de antropologia.

O artigo é uma leitura atualizada e obrigatória para estudantes da área. O artigo completo está disponível para leitura e download, e pode ser acessado CLICANDO AQUI.

Referência completa do trabalho:

ARAUJO, Astolfo G. M. 2018. A arqueologia como paradigma de ciência histórica e interdisciplinar. Estud. av. [online], vol.32, n.94, pp.285-308. ISSN 0103-4014.  http://dx.doi.org/10.1590/s0103-40142018.3294.0019.

2 comentários

    • Oi, Marianny. É porque a arqueologia é uma ciência que dialoga constantemente com as biociências, geociências e as ciências exatas, além das próprias ciências humanas. Muitos dos métodos de pesquisa que usamos são adaptações de métodos já empregados em outras ciências.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s