Arqueologia e Pré-História

Desde 2013 colaborando com a educação e informação ao grande público sobre arqueologia e pré-história em língua portuguesa. Notícias, artigos, eventos, e muito mais! (Este site NÃO possui fins lucrativos).

Arqueologia Acústica e Subaquática em Contexto Medieval

Photo credit: Sear/Dunwich.org.uk Researchers in the UK have carried out the most detailed analysis ever of the archaeological remains of the lost medieval town of Dunwich on England's Suffolk coast. The study analysed data obtained via acoustic spectroscopy to see the ruins through the murky depths of the North Sea.

Por David Bradley

Desmorona para o mar

Pesquisadores do Reino Unido realizaram a análise mais detalhada dos vestígios arqueológicos da cidade medieval de Dunwich, perdida na costa de Suffolk Inglaterra. O estudo analisou dados obtidos via espectroscopia acústica para ver as ruínas através das profundezas escuras do mar do Norte.

Litorais estão sempre mudando, mar agitado, mudanças de marés, vento e chuva batendo contra rochedos litoral tem o seu preço ao longo do tempo. Mas, onde os seres humanos se estabelecem e constroem das margens costeiras, as tempestades podem destruir vidas, como desmoronar penhascos. Um desses lugares é a Dunwich, na costa leste da Inglaterra, onde uma combinação de tempestades, bem como as decisões de planejamento por parte dos habitantes cidades fez com que a vila medieval desmorona-se no mar. Dunwich, com 8 igrejas e dois conventos, uma vez esteve orgulhosamente olhando para o mar 5 km ao sul de Southwold e cerca de 4 km a norte de Leiston, a vila que agora serve usina nuclear de Sizewell.

Mudanças costeiras

Nossas costas foram sempre mudando, e as comunidades têm lutado para viver com essa mudança“, diz David Sear do Departamento de Geografia e Meio Ambiente da Universidade de Southampton. “Dunwich nos lembra que não são apenas as grandes tempestades e sua freqüência, vindo um após o outro, que impulsiona a erosão e inundações, mas também as decisões sociais e econômicas feitas na costa por comunidades. No final, com o porto de assoreamento, a cidade parcialmente destruída, e caindo rendimentos de mercado, muitas pessoas simplesmente desistiram de Dunwich“.

Dunwich já foi um porto próspero de um tamanho semelhante ao do século 14 em Londres, mas sete séculos de tempestades, erosão costeira, inundações e outros fatores, limparam-no para fora do mapa, exceto os restos submersos e alguns edifícios fragmentados. A perda de Dunwich começou em 1286 quando uma grande tempestade varreu grande parte da solução para o mar e assoreou o rio Dunwich. Esta tempestade foi seguida por uma série de outros que assorearam o porto e apertou a vida econômica fora da cidade, levando à sua eventual morte como um grande porto internacional no século 15.

No trabalho apoiado pelo Patrimônio Inglês, Sear e seus colegas usaram técnicas avançadas de imagem subaquática para traçar um mapa preciso das ruas perdidas e grandes edifícios de Dunwich para revelar ruínas anteriormente não marcadas no fundo do mar. Sear trabalhou ao lado das universidades GeoData Institute, National Oceanography Centre, Southampton, Wessex Archaeology e ao lado de emrgulhadores locaisda North Sea Recovery and Learn Scuba.

Sondando águas turvas

A visibilidade sob a água em Dunwich é muito pobre, devido à água barrenta“, explica Sear. Esta exploração visual um tanto limitada do sítio pelos mergulhadores  levou ele e seus colegas a recorrerem para alta resolução de imagem acústica DIDSON (http://www.soundmetrics.com/). Esta é a primeira vez que a tecnologia tem sido utilizado num tal contexto, já que é mais geralmente usada para explorar destroços de navios e semelhantes. “Os dados produzidos pela tecnologia DIDSON nos ajuda não só a ver as ruínas, mas também entender mais sobre como eles interagem com as correntes de maré e leito do mar”, acrescenta Sear.

Enquanto nós não podemos parar as forças da natureza, podemos garantir que o que é significativo é registrado, e nosso conhecimento e memória do sítio não se perderá para sempre“, diz Sear. O projeto foi iniciado em 2008 e já confirmou os limites da cidade, revelando que Dunwich tinha cerca de 1,8 quilômetros quadrados, quase tão grande quanto a atual cidade de Londres. O estudo também mostra que houve uma área central anexada menor que 1 quilômetro quadrado que pode ter sido terraplenagem de Saxões.

A atual mudança climática global e a preocupação com o aumento dos níveis do mar afetam habitações costeiras ao redor do mundo e fizeram a erosão costeira um tema da atualidade no século 21, mas Dunwich mostra que ele tem estado conosco há muito tempo. Talvez não seja coincidência que as tempestades dos séculos 13 e 14 também foram um período de mudanças climáticas como o optimum climático medieval quente esfriada até a infame Pequena Idade do Gelo.

FONTE: http://www.spectroscopynow.com/details/ezine/13e9d18280f/Acoustic-archaeology-A-sound-approach.html?tzcheck=1

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 15/05/2013 por em Reportagens.
%d blogueiros gostam disto: